Fiemg 2

Agora é o momento de refletir sobre o municipal da categoria de base

Publicado em: 18 de março de 2019 às 08h39
Coluna Esporte

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 16/09/2019) - Edição 1992

Marlon Santos

ALÔ, ARCOS! Futebol, como todo esporte, educa. Isso é certo. No contexto da aprendizagem, o futebol deixa de ser um negócio milionário e produtor de craques-celebridades, para se tornar a mais pura brincadeira. Essa é a essência do jogo, e a partir dos 6 anos já é possível formar times, estabelecer regras simples e deixar os pequenos bem à vontade para aprenderem a lidar com diversas situações, desde treinar a coordenação motora para amarrar a própria chuteira até aceitar o fato de que não gostam de futebol. Sim, isso acontece com as crianças do nosso país. Mas, em Arcos, a história é totalmente diferente, pois existia o Campeonato Municipal da Categoria de Base, que foi disputado até o ano de 2017. Por ironia do destino, eis que o municipal de base foi deixado em segundo plano, e no ano passado parou de ser realizado.

Sempre nas manhãs de sábado, os “nossos meninos de ouro” estavam em campo praticando o esporte. Membros da família ficavam nas arquibancadas vibrando com os lances e incentivando os atletas no decorrer dos jogos. Será que isso vai ficar apenas na recordação? É uma pergunta que ainda não tenho uma resposta para você, que é leitor deste espaço esportivo.

Ypiranga, Associação, Social, Sociedade e tantas outras equipes dividiam o espaço com os adultos e hoje, grandes atletas estão brilhando nos gramados do estado de Minas Gerais e pelo território brasileiro. Exemplos como o de Leonardo ‘Goteira’, Arthur, Pedro Lucas, Raphael Couto, Adriano Carlos e João Carlos são apenas alguns nomes que começaram suas carreiras nas categorias de base. Leonardo ‘Goteira’ está no União Esporte Clube de Rondonópolis e é o artilheiro do time mato-grossense, com cinco gols marcados. Goteira atuou nas categorias de base do Associação durante cinco anos e hoje é uma realidade no futebol profissional.

No momento, temos que aguardar uma posição dos organizadores do nosso futebol, para que em um futuro próximo possamos novamente acompanhar de perto o “charmoso campeonato da categoria de base”.

 

Reunião com diretores de clubes pode mudar o rumo do futebol de campo de Arcos

Na última segunda-feira, 11, aconteceu uma reunião dos diretores de clubes, que estão interessados em mudanças no futebol de campo de Arcos. Entre as diversas mudanças está a limitação de jogadores de cidades vizinhas, o campeonato municipal contando com um maior número de clubes, uma fórmula de disputa diferente dos moldes atuais e a extinção da seletiva por parte dos clubes que aderiram à nova proposta do futebol de Arcos. “Queremos valorizar os atletas de Arcos e também resgatar o verdadeiro futebol amador”, disse Fábio Antônio, presidente do Associação.

Para alguns diretores, o atual sistema de disputa está desgastante. “São três torneios em um ano e a cada disputa temos que formar uma equipe diferente. Com um municipal mais longo teremos um menor desgaste para montar nossas equipes”, comentou Air Bento, presidente do Palmeiras. Agora a proposta será analisada pela Secretaria Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo (SEMCELT). Provavelmente no final do mês de março teremos uma decisão final.

 

Equipes que participaram da reunião

Futebol Clube Esplanada
Clube Regatas Santana
Sociedade Esportiva São Vicente
Juventude Franco Esporte Clube
Associação Atlética Arcoense
Vila Esporte Clube
Bela Vista Esporte Clube
Social Esporte Clube
Palmeiras Esporte Clube
Brasilense Esporte Clube

Coluna Esporte por Marlon Santos

E-mail: marlonsantos@jornalcco.com.br