Vende-se Apartamento

Andropausa e perda de massa muscular

Publicado em: 02 de dezembro de 2019 às 08h39
Saúde

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 23/11/2019) - Edição 2028

Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Chamamos de ANDROPAUSA a redução acentuada dos níveis de hormônios masculinos (testosterona) no homem. É natural, com o envelhecimento, que esses hormônios tenham seus níveis diminuídos. No entanto, em alguns homens os níveis de testosterona caem de forma exagerada ou em uma idade muito precoce, gerando vários transtornos. Esse processo é chamado andropausa, também conhecido como “a menopausa do homem”. Uma das grandes consequências da andropausa é a perda da massa muscular ou sarcopenia, que pode comprometer seriamente a saúde e qualidade de vida dos homens. A falta de conhecimento sobre esse assunto faz com que muitos pacientes deixem de se beneficiar dos tratamentos disponíveis.

 

 

Quais as consequências da sarcopenia?

A perda de massa muscular pela andropausa pode provocar sintomas como cansaço fácil aos exercícios, flacidez dos músculos com perda de força, falta de disposição, dores no corpo e incapacidade para praticar esportes ou atividades que exijam esforço maior como subir escadas e carregar objetos pesados. Em graus mais avançados, a perda de força muscular pode comprometer os ossos, levando a perda de cálcio e osteopenia ou osteoporose. Pode também contribuir para que o metabolismo fique prejudicado, predispondo o paciente a ganho de peso progressivo e desenvolvimento de outras doenças metabólicas como diabetes.

Como esse processo geralmente acomete homens de mais idade, a sarcopenia pode deixar o paciente dependente de ajuda para atividades do dia a dia. Um grande risco é o desenvolvimento de síndrome de imobilidade, que é a incapacidade para andar sem ajuda, fazendo com que o paciente fique acamado com alto risco para tromboses, pneumonias, infecções urinárias e escaras.

 

 

Como detectar a andropausa e prevenir a perda muscular?

Há a necessidade de exame médico e realização de exames laboratoriais para se confirmar a queda exagerada dos níveis de hormônios masculinos. Se a andropausa for confirmada, pode ser necessário a reposição de testosterona. O uso de testosterona é contraindicado caso os níveis de testosterona estejam normais. Existem diferentes formas de administração da testosterona, como injeções, sprays e gel; cada paciente vai precisar de um esquema de tratamento diferente dependendo das suas condições de saúde. Em algumas situações a reposição de testosterona está contraindicada, como na presença de apneia do sono, problemas de próstata e alguns tipos de câncer.

Todos os pacientes são aconselhados a iniciarem um programa de atividades físicas, alternando exercícios aeróbicos e musculação. Uma dieta equilibrada é importante para garantir um bom estado nutricional evitando a perda muscular; em alguns casos pode ser necessário uso de suplementos alimentares proteicos.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468