Vende-se Apartamento

Apneia do sono

Publicado em: 07 de maio de 2018 às 09h24
Saúde

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 28/04/2018

Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Apneia do sono consiste em pequenas paradas respiratórias durante o sono, muitas vezes acompanhadas de ronco intenso. Diferentes estudos mostram que 2 a 4 % da população sofra deste distúrbio. De acordo com os estudiosos, quem sofre de apneia tem um grande estresse durante o sono e não consegue oxigenar bem os tecidos do organismo, além de acumular excesso de gás carbônico no sangue. Esses fatores levam à ativação dos hormônios do sistema simpático, que causa hipertensão arterial e acelera o coração.

As consequências disso são graves e podem causar no paciente apneico problemas como infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência renal.

 

 

Quais as causas de apneia?
Existem dois tipos de apnéia do sono: apneia obstrutiva e apneia não-obstrutiva. A apneia obstrutiva ocorre quando o ar não consegue chegar de forma eficiente nos pulmões quando se está dormindo. Isto pode ocorrer quando a pessoa apresenta problemas de adenóide ou de amígdalas, em pessoas muito obesas (a obesidade dificulta a passagem de ar aos pulmões), portadores de doenças dos músculos da garganta e da língua, dentre outras. O abuso de bebidas alcoólicas enfraquece a musculatura da garganta e da língua, dificultando a passagem de ar durante o sono e piorando a apneia.

A apneia não-obstrutiva ocorre por lesões no sistema nervoso central que impedem o controle do ritmo da respiração; neste tipo de apneia não ocorre prejuízo na passagem de ar aos pulmões.

Quais os sintomas?
Os principais sintomas são: sensação de cansaço constante, mesmo após uma noite de sono; memória fraca, pouca capacidade de concentração, irritabilidade, alterações do apetite, dores no peito (angina), sensação de boca seca ou dor de garganta pela manhã. É muito comum os pacientes apresentarem quadro de roncos noturnos intensos.

Como é o tratamento?
Vai depender da gravidade e da causa da apneia. Muitos pacientes conseguem uma boa resposta com mudanças em seus hábitos de vida. Perda de peso, evitar uso de bebidas alcoólicas, realizar exercícios físicos, suspender o tabagismo, evitar comidas pesadas antes de dormir, dormir de lado, levantar a cabeceira da cama cerca de 15 cm, dentre outras medidas, são eficazes em alguns casos.

Alguns pacientes necessitam realizar tratamento cirúrgico de problemas de garganta e de vias aéreas superiores. Recentemente foi constatado que exercícios de fonoaudiologia e alguns tratamentos odontológicos podem melhorar os casos leves a moderados.

Casos muito graves podem necessitar de uso durante a noite de um aparelho chamado CPAP, que consiste em uma máscara que força o ar pelas vias aéreas sob pressão.

Todo paciente portador de apneia do sono deve ter em mente os riscos que está correndo em não ser tratado de forma adequada. A taxa de mortalidade da apneia do sono, em pacientes não tratados é muito alta, além de prejudicar de forma intensa a qualidade de vida.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468