Mérito Empresarial

Baixo peso em crianças e adultos

Publicado em: 26 de dezembro de 2017 às 08h24
Saúde

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 16/12/2017) - Edição 1927

Dr. Tarcísio Narcísio Silva

O baixo peso é uma condição que, assim como o excesso de peso, está associada a complicações na saúde. Dizemos que uma pessoa adulta está muito abaixo do peso quando seu índice de massa corporal (IMC) está abaixo de 18,5. Esse índice é calculado dividindo-se o peso (em Kg) pela altura ao quadrado (em metros). O valor normal é na faixa de 18,5 a 25. Para avaliação das crianças utilizamos gráficos e tabelas específicos para cada idade e sexo para avaliarmos o peso.

Consequências do baixo peso

· Em crianças: podem ter seu crescimento e desenvolvimento comprometidos, atrasando o início da puberdade; impede ainda que o organismo incorpore os nutrientes da dieta, não deixando os ossos e músculos se desenvolverem adequadamente. Outra preocupação é quanto ao sistema imunológico, que fica fraco e passa a reagir de forma ineficaz em situações de infecção e outros problemas de saúde. Nos adolescentes, uma questão importante é quanto à auto-estima do jovem, que passa a ficar complexado com seu corpo excessivamente magro, gerando estados depressivos reacionais e baixo rendimento nos estudos.

· Em adultos: o baixo peso está relacionado a uma maior incidência de osteoporose tanto em homens quanto mulheres. Mulheres jovens muito abaixo do peso podem apresentar alterações na menstruação e dificuldades na gravidez.

Tratamento

Os pacientes devem passar por uma avaliação clínica detalhada procurando afastar doenças que precisam de tratamento. É o caso de problemas hormonais e metabólicos, transtornos psiquiátricos e psicológicos, problemas gastrointestinais, infecciosos, dentre outros.

Todos os pacientes devem ser orientados a manter bons hábitos de vida. A dieta deve ser orientada e personalizada para cada caso. O primeiro passo é tentar identificar alguns erros de alimentação, como jejuns prolongados, uso de alimentos sem valor nutritivo, mastigação incorreta, pouco tempo gasto para se alimentar, modo de preparo dos alimentos, quantidade de alimento ingerida, dentre outros. Pela correção da alimentação é possível reverter o problema na grande maioria dos casos, tanto em adultos quanto em crianças.

Outro ponto importante é avaliar o gasto de energia do paciente. Alguns pacientes gastam energia de forma intensa e não sabem repor suas perdas. É o caso de pessoas que trabalham em serviço pesado ou que se exercitam exageradamente, sem acompanhamento profissional. Alguns suplementos alimentares podem ser utilizados de forma equilibrada com a alimentação habitual.

Atualmente é grande o número de pessoas que se aventuram em tratamentos não convencionais para ganhar peso. É o caso de jovens magros que arriscam sua saúde utilizando suplementos alimentares de forma errada e hormônios (muitas vezes de uso veterinário), além de outras medidas visando o ganho de peso. São “tratamentos” que podem levar a danos nos rins, fígado, comprometer a fertilidade e deformar o corpo. O tratamento para ganho de peso deve ser realista com a genética de cada pessoa e em busca, antes de tudo, da saúde e não de um corpo perfeito.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468