Mérito Empresarial

Câncer da Tireoide

Publicado em: 28 de maio de 2018 às 08h19
Saúde

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 19/05/2018) - Edição 1949

Dr. Tarcísio Narcísio Silva

A tireoide é uma glândula localizada na base do pescoço, que produz hormônios importantes para o perfeito funcionamento de todo nosso corpo.

Atualmente, tem-se verificado um aumento do número de casos de câncer de tireoide. Exposição a radiações e a certos agentes químicos, alterações genéticas e aumento da expectativa de vida são algumas das causas conhecidas. Geralmente é o próprio paciente que nota o aparecimento do tumor, quando percebe um caroço ou nódulo na base do pescoço. Calcula-se que 10% da população apresenta nódulos na tireoide, sendo que 90% dos nódulos são benignos e cerca de 10% são malignos. Assim como o câncer de mama, o câncer de tireoide é mais comum em mulheres acima de 35 anos. Porém pode ocorrer em homens e crianças.

Quem tem mais chance de desenvolver câncer de tireoide?

Todas as pessoas que apresentam nódulos na tireoide precisam ser avaliadas pelo Endocrinologista para confirmação e tratamento. As pessoas que foram submetidas a irradiação na cabeça ou no pescoço (radioterapia, raios-X, etc) têm mais chance de apresentarem os nódulos do tipo maligno. Também têm mais chance de nódulos malignos quando há casos de câncer de tireoide na família, se o nódulo é de crescimento rápido ou doloroso e se o paciente apresenta idade abaixo de 14 anos ou acima de 65 anos.

Como é o tratamento? Existe cura?

Existem vários tipos de câncer de tireoide, alguns mais agressivos e outros menos. Para todos os casos, o tratamento inicial é a cirurgia. A maioria dos pacientes necessita ainda de radioterapia com iodo radiativo. Praticamente todos os pacientes vão precisar realizar tratamento hormonal para o resto da vida, visando repor o hormônio da tireoide. Raramente é necessária quimioterapia. A grande maioria dos casos evolui para a cura. As pessoas que já foram tratadas precisam continuar em acompanhamento especializado, porque, dependendo do tipo, o tumor pode reaparecer e se espalhar para outras partes do corpo.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468