Empreendedor 2017

Cuidados com o PÉ DIABÉTICO

Publicado em: 27 de novembro de 2017 às 08h26
Saúde

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 18/11/2017) - Edição 1923

Dr. Tarcísio Narcísio Silva

O termo PÉ DIABÉTICO se refere a uma síndrome que predispõe os pacientes diabéticos a amputação dos membros inferiores e outras sérias complicações. Consiste na presença de alterações neurovasculares nos pés, associadas a úlceras ou outras lesões que podem se tornar gravemente infectadas. Em casos avançados, a única opção é a amputação, pelo risco de a infecção se tornar generalizada podendo levar à morte.

Pacientes diabéticos mal controlados têm risco 40 vezes maior que a população não diabética de virem a sofrer um dia amputação.

Qual a causa dessa síndrome?
O diabetes mal controlado leva a duas alterações principais nos membros inferiores. Provoca alteração nos vasos sanguíneos, devido a aterosclerose; com isso o suprimento de sangue não chega de forma eficaz aos pés. Isso dificulta a chegada das células de defesa e dos antibióticos necessários para controlar infecções.

A outra alteração é o dano da inervação dos membros inferiores, a chamada neuropatia. Com os nervos danificados, o paciente fica com a sensibilidade diminuída nos pés. Assim, muitos pacientes têm dificuldades para perceber feridas, calosidades, micoses, unhas encravadas e outras lesões que servem de porta de entrada para infecções. Quando o paciente percebe alguma lesão, muitas vezes já está num estágio avançado de infecção.

Como prevenir?
· Controle rigoroso do diabetes. Esse é o primeiro e fundamental passo para se evitar a síndrome. Dieta balanceada, exercícios físicos, uso das medicações corretas e exames periódicos devem ser colocados em prática.
· Controle dos níveis de colesterol e da pressão arterial. Esses dois fatores, juntos com o diabetes, são as principais causas de aterosclerose.
· Abandono do tabagismo. A fumaça do cigarro piora o quadro de aterosclerose aumentando o risco não apenas de amputação, como também de infarto, impotência sexual e derrames.
· Abandonar ou pelo menos reduzir ao máximo a ingestão de bebidas alcoólicas. O álcool danifica os nervos de todo o corpo, piorando o quadro de neuropatia provocado pelo diabetes.
· Inspeção diária dos pés. Pelo menos uma vez ao dia, por exemplo após o banho, verificar os pés e pernas à procura de lesões que podem levar a infecções. Se precisar, o paciente deve pedir ajuda para parentes ou pessoas próximas. Detectar essas lesões precocemente e buscar acompanhamento médico e de enfermagem em caráter urgente pode evitar muitos casos de amputação.
· Nunca cortar calos ou usar instrumentos cortantes nos pés sem ajuda profissional.
· Usar calçados e meias macios. Pacientes predispostos ao pé diabético devem usar apenas meias de algodão viradas do avesso, para evitar machucar com a costura das meias. Em alguns casos é indicado uso de palmilhas e calçados feitos sob medida.
· Secar os pés adequadamente após o banho, prevenindo micoses/frieiras.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468