UNINTER

Diabetes e doenças cardiovasculares

Publicado em: 29 de abril de 2019 às 08h25
Saúde

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 19/04/2019) - Edição 1997

Dr. Tarcísio Narcísio Silva

 

As doenças cardiovasculares, como o infarto e derrames, são as principais causas de morte em pacientes diabéticos mal controlados. Pacientes diabéticos têm um risco 4 vezes maior de evoluírem com essas complicações.

A maioria dos pacientes portadores de diabetes tipo 2 (diabetes do adulto), apresenta também uma grande tendência para o desenvolvimento de hipertensão arterial, obesidade e aumento de triglicérides e colesterol. Cada uma dessas doenças isoladamente pode danificar o coração, e, quando estão juntas numa mesma pessoa, provocam um dano ainda maior.

Por isso, todo paciente diabético deve passar rigorosamente por avaliações periódicas para ajuste do seu tratamento. Quanto mais bem orientado o paciente estiver quanto ao seu tratamento, menores serão suas chances de apresentarem complicações cardiovasculares graves.

 

Como o diabetes danifica o coração?

O excesso de glicose no sangue pode destruir a parte elétrica do coração, provocando bloqueios e arritmias cardíacas. Pode haver lesão do músculo cardíaco, enfraquecendo o coração, o que é chamado de insuficiência cardíaca. Mas o dano mais frequente e grave ocorre nas coronárias, que são as artérias que irrigam o coração. O excesso de glicose favorece a aterosclerose, que consiste no endurecimento e entupimento das coronárias. Esse processo leva ao surgimento de angina e predispõe ao infarto. O fato mais preocupante é que o diabetes, em muitos casos, impede o paciente de sentir perfeitamente os sintomas de doenças cardíacas. Isso quer dizer que o paciente diabético pode ter uma séria lesão no coração e, no entanto, não sentir nada. É por isso que os pacientes diabéticos devem realizar consultas e exames especializados periodicamente, mesmo se não apresentam sintomas.

 

Como se previne os danos ao coração do paciente diabético?

O passo principal consiste no controle adequado dos níveis de glicose no sangue.

Há a necessidade de controle rigoroso dos demais fatores de risco para o coração, que são a pressão arterial, colesterol, triglicérides e do peso. O tabagismo é um hábito inadmissível para os portadores de diabetes.

Os valores considerados ideais para os pacientes diabéticos são mais rigorosos porque, como dito anteriormente, os riscos para o coração são maiores quando comparados com pessoas sem diabetes.

Através de uma alimentação balanceada, atividade física regular e realização de exames periódicos para ajustar as medicações, é possível  prevenir graves danos ao coração do diabético.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468