Vende-se Apartamento

Dieta do HCG, água alcalina e outras maluquices

Publicado em: 30 de outubro de 2017 às 08h49
Saúde

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 28/10/2017) - Edição 1920

Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Informações errôneas sobre saúde têm circulado por diversos meios de comunicação. Por mais absurdas que muitas delas pareçam, de tanto serem compartilhadas acabam por parecerem verdadeiras. A situação se complica quando profissionais de diversas áreas da saúde abandonam os princípios científicos e usam a mídia para divulgarem opiniões próprias como se fossem verdade científica. Sem julgar o mérito desses profissionais, alguns dos absurdos que têm sido divulgados são apresentados abaixo.

Dieta do HCG
Trata-se de uma associação de orientação dietética com uso de HCG, um hormônio produzido pela mulher grávida, para supostamente tratar obesidade. Não é necessário muito entendimento para perceber a bizarrice: imagine um homem recebendo hormônio que é produzido por mulheres na gravidez... O HCG tem indicação em medicina para tratar alguns problemas hormonais específicos, mas nunca para tratar obesidade. Existe risco de trombose, embolia, insuficiência cardíaca, tumores, crise hipertensiva, convulsões, entre outros. Esse falso tratamento é condenado pelas principais associações médicas de todo o mundo, como pode ser visto no site da Sociedade Brasileira de Endocrinologia: www.endocrino.org.br/media/uploads/PDFs/posicionamento_oficial_hcg_sbem_e_abeso.pdf

Uso de IODO (LUGOL) para prevenção de doenças
Uma perigosa recomendação que tem sido feita é a suplementação com altas doses de iodo para prevenir diversas doenças, principalmente da tireoide. A recomendação é que se utilize todos os dias algumas gotas de solução de Lugol, riquíssima em iodo, necessário para o funcionamento da tireoide. Nossa tireoide usa cerca de 52 mcg (1000 mcg equivalem a 1 mg) de iodo todos os dias para fabricar seus hormônios, T3 e T4. Uma gota de Lugol tem 6,35 mg. Ou seja, uma gota de Lugol possui 122 vezes mais iodo do que o recomendado.
Com essa prática absurda, tem-se verificado um aumento na procura por atendimento nos consultórios endocrinológicos por problemas de tireoide, inclusive nódulos. Diversos estudos científicos têm verificado que a população brasileira apresenta na verdade altos níveis de iodo no sangue por consumo de sal em excesso. Um bom artigo sobre esse assunto está disponível em: blogdasbemrs.blogspot.com.br/2016/10/vale-pena-suplementar-iodo-para-tireoide.html

Água alcalina
Recentemente surgiu uma indústria da água alcalina ionizada hexagonal, uma super água que “trata e previne doenças, retarda envelhecimento e muito mais”. Nenhum desses efeitos alegados tem embasamento científico.  O segredo seria que essa água age aumentando o PH (ou alcalinidade) do sangue, trazendo mais saúde. De fato, em alguns casos uma água mais alcalina pode ajudar pessoas com gastrite por combater a acidez do estômago. Mas não deve ser usada por longos períodos justamente porque neutralizar o ácido gástrico pode impedir a digestão adequada dos alimentos e a absorção de alguns nutrientes. Além disso, água alcalina em excesso pode predispor a cálculos renais.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468