Vende-se Apartamento

Momentos de indecisão

Publicado em: 22 de fevereiro de 2021 às 09h07
Coluna Esporte

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 20/02/2021) - Edição 2090

Marlon Santos

ALÔ, ARCOS! Ainda continua a incógnita de quando e como o esporte de Arcos irá retornar as atividades normais, e ninguém consegue direcionar uma resposta. Em algumas cidades vizinhas, o futebol já voltou a ser praticado, a exemplo da cidade de Lagoa da Prata, onde as equipes já estão realizando amistosos para se prepararem para o campeonato municipal daquela cidade. Os dirigentes, atletas e torcedores não sabem o que fazer quanto  ao  possível retorno do futebol em Arcos, afinal, o Executivo está mudo e não repassa nenhuma informação quanto ao retorno do futebol em nossa cidade, o que deixa todos perplexos. Sei que muita gente irá questionar esse artigo e afirmar que o esporte é algo de pouca  importância entre as mais importantes. Não posso dizer que essas pessoas estão erradas, pois realmente o esporte pode não ser tão importante para alguns, porém, têm aqueles que se dedicam ao extremo para fazer do esporte algo que consiga agregar na vida de outras pessoas. Claro que é complicado, para alguns, entenderem esse aspecto, pois muitos acreditm que tudo gira em torno do esporte, mas realmente é uma realidade que não pode ser questionada por ninguém. Mas, infelizmente, as autoridades competentes não querem tomar uma decisão ou, pelo menos, achar uma solução plausível para esse  assunto. Preferem deixar de lado e sequer procurar os diretores de clubes para que haja um diálogo. É uma situação complicada e que ninguém consegue entender.

 

Infelizmente, o amadorismo é diferente

No futebol amador, a história é um pouco complexa, pois os atletas atualmente não têm uma identificação com suas equipes. Trocam de equipes sem deixar recordações; e quando comemoram seus gols é de forma singular, não mostram tanto carinho por aquele momento. O torcedor fica sem entender e nas arquibancadas o estrondo se torna uma voz silenciosa. Não podemos generalizar, afinal, estamos em tempos em que quantia financeira é a palavra-chave que convence qualquer atleta a trocar de clube. Raros são os atletas que realmente vibram com seu torcedor após marcar um gol, pois no próximo torneio poderá estar com a camisa do clube ao qual causou o sofrimento, tudo normal em um esporte altamente financeiro. Dizer que acabou o vínculo de um atleta com um clube de futebol amador em tempos atuais não é uma calúnia, porém, temos que aceitar essa dura realidade, mesmo que não lhe convença. Concorda?

 

Drama das escolas de futebol em Arcos

Tínhamos quatro escolas de futebol em Arcos, que conseguiam reunir entre 400 e até mesmo 500 alunos dentro do campo de futebol. Agora, a realidade é totalmente diferente, pois contamos apenas com duas agremiações em atividade. Trata-se do Vila e do Associação, que ainda se mantêm em atividade, mas que, com esta pandemia, tiveram que interromper os treinos. O trauma desta falta de incentivo do futebol nas categorias de base será sentindo em um futuro próximo, pois teremos que reerguer este gigante adormecido, que é o futebol das categorias de base.

 

Por que a categoria de base é tão importante no futebol?

Ninguém fica pronto de cara. Mesmo entre os melhores jogadores de futebol do mundo, sempre leva algum tempo para que eles atinjam o ápice da sua carreira. Durante o início da carreira como profissional, com um pouco mais de 20 anos normalmente, existe muita inconsistência, que é comum da juventude.

O futebol é disputado no maior nível de competição possível; para ter sucesso não é preciso apenas ter talento, é necessário também trabalhar e treinar muito, desde cedo, para conseguir chegar lá. Esse processo começa na categoria de base.

Coluna Esporte por Marlon Santos

E-mail: marlonsantos@jornalcco.com.br