Vende-se Apartamento

O craque das pernas tortas

Publicado em: 12 de junho de 2018 às 08h14
Coluna Esporte

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 09/06/2018) - Edição 1952

Marlon Santos

ALÔ, ARCOS! A década de 1990 ficou marcada como a década em que o futebol regional viveu os seus melhores momentos. Tínhamos um futebol que conseguia atrair um grande número de torcedores aos estádios, devido aos craques que estavam em campo. No Ypiranga Esporte Clube de Arcos, o nome daquela época era Adriano Carlos de Oliveira, ou simplesmente ‘Didi’, que dentro das quatro linhas encantava os admiradores do futebol com seus dribles e com sua postura em campo. Filho do casal Maria Garcia Zica de Oliveira e Olemar Gomes de Oliveira, o atacante Didi era ídolo dos torcedores ypiranguistas.

Como havia dito anteriormente, o futebol na década de 1990 era muito atrativo, e isso se devia aos grandes jogadores que atuavam em suas respectivas equipes. Mas o Ypiranga tinha no craque Didi um termômetro, e quando o ‘craque das pernas tortas’ estava inspirado, ninguém conseguia marcá-lo, afinal, Didi era um terror para as defesas adversárias. No ano de 1998, Didi disputou o campeonato municipal pela equipe do Vila Esporte Clube, e nesse ano o  time conquistou o municipal com certa facilidade. Os torcedores do Vila se encheram de esperança para o ano seguinte, pois acreditavam que poderiam contar com o futebol dinâmico de Didi para repetir a conquista, e ainda sonhavam com títulos em nível regional e estadual. Porém, no mesmo ano de 1998, mais precisamente no dia 24 de dezembro de 1998, falecia com apenas 24 anos de idade, Adriano Carlos de Oliveira (‘Didi’). O futebol de Arcos e região acabava de perder um gênio do futebol. Foi um choque para os admiradores do futebol do “craque das pernas tortas”; e até mesmo os adversários sucumbiram com seu falecimento. Didi deixou saudades e sempre será lembrado como um dos maiores jogadores de futebol que Arcos e região conheceu.

 

Atualmente
Depois do falecimento de Didi, tivemos jogadores que se destacaram por terem um futebol semelhante ao do “craque das pernas tortas”, porém, ninguém ainda conseguiu conquistar o prestígio e a admiração do torcedor, como foi Didi. O tempo está passando e o nosso futebol se encontra carente de um grande craque, que seja verdadeiramente um gênio dentro das quatro linhas. Infelizmente o futebol da região não consegue se reencontrar como antigamente, e assim os jogadores se tornam verdadeiros ciganos e a cada momento estão em uma equipe. Mas podemos acreditar que dias melhores virão e teremos novamente um futebol que irá emplacar. Quem viver, verá!

Coluna Esporte por Marlon Santos

E-mail: marlonsantos@jornalcco.com.br