Mérito Empresarial

O GRANDE PALCO

Publicado em: 11 de setembro de 2017 às 08h38
Sebastião Correia da Silva

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 09/09/2017) - Edição 1912

Sebastião Correia da Silva

A vida é um palco, um grande palco, um gigantesco palco.  Porém, para alguns o palco é bastante pequeno, porque são arrebatados dele até antes de começarem a atuar.  E neste palco ocorre, simultaneamente, a apresentação de peças reais, de várias naturezas. Ora romance, ora drama, ora comédia, aonde nós atuamos ora como protagonistas principais, ora como coadjuvantes, ora como figurantes, ora como meros espectadores. Tudo isto em consonância com as condições que a vida nos oferece, as quais devíamos saber distinguir e aproveitar, para determinar o aproveitamento e o futuro de nossa atuação.

Para muitas pessoas, este palco é sempre iluminado, cheio de luzes de várias matizes, algumas vezes com um canhão de luz acompanhando o personagem, que, lépido e desenvolto, desfila na ribalta. Estes são os sortudos, os felizardos, que nascem em berço de ouro e costumam passar toda a vida mergulhados na fartura, e, muitas das vezes, na arrogância, na exorbitância e no desperdício.  Porém, o palco, giratório como é, pode dar um guinada, colocando o personagem do outro lado da situação, o que certamente lhe trará muito desgosto, pois regredir perder privilégios é triste, muito triste.

Para outros, o palco está sempre escuro, mergulhado nas sombras, cheio de pedras de tropeço, onde o personagem costuma mostrar apenas o vulto, mesmo assim dependendo da cor de sua surrada indumentária. Estes geralmente são os mal nascidos, ou seja, nascidos em berço de palha, que quase sempre vivem na escassez de tudo que lhes é necessário para viver, crescer e desenvolver com dignidade.  Neste caso, o personagem não desfila, mas se arrasta de modo lento e tímido, tateando aqui, tateando ali, até que apareça um facho de luz para situá-lo no momento atual de sua vida.

Porém, dependendo da sorte, do talento e do esforço do ator, neste caso pode ocorrer também uma guinada do palco que, repetindo, é giratório, e o personagem pode ser transportado para o lado iluminado da ribalta, lugar, de fato destinado aos vencedores.  Neste caso, o personagem certamente terá muitas alegrias, tendo em vista o fato de que progredir, ao contrário de regredir, é por demais muito agradável.  Ainda mais quando o progresso material advém de uma atuação decente, límpida, clara e transparente, no grande palco da vida. Porém, nunca podemos abrir mão do progresso espiritual, que é o mais importante.

Em qualquer uma das situações em que estivermos atuando, seja como protagonistas, coadjuvantes, figurantes ou expectadores, devemos agir com dignidade e respeito aos demais participantes para que, se não formos aplaudidos, sejamos, no mínimo, poupados de uma retumbante vaia.

Sebastião Correia da Silva por Sebastião Correia da Silva

Artigos - Sebastião Correia da Silva