Animalis

OS TEMPOS SÃO DE CRISE, AS AFLIÇÕES SÃO REAIS, MAS DEUS É BOM!

Publicado em: 21 de junho de 2021 às 09h33
Identidade Presbiteriana

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 12/06/2021) - Edição 2106

Pastor Presbiteriano - Éder Henrique

O sofrimento tem sido uma marca cruel na vida do ser humano. É fato que o sofrimento pode causar traumas, desesperança, rancor, incredulidade e dúvidas quanto a bondade de Deus. Por causa do sofrimento, alguns se revoltam contra a vida, pessoas e até mesmo contra Deus, outros, de certa forma, aceitam o sofrimento, mas vivem reclamando. Falar de sofrimento não é agradável, aliás, Jesus provocou uma revolução cultural no seu tempo ao anunciar que é possível ser “muito feliz”, bem-aventurado mesmo em meio ao sofrimento (Mateus 5). Um comportamento que entrava em conflito com o pensamento filosófico grego, que naquela época rejeitava a humildade e negava o sofrimento. Hoje, a situação continua basicamente a mesma, porque muitos não aceitam a fé bíblica e buscam uma fé sem dor, uma vida sem tristeza, uma existência sem agonias e sem sofrimentos. No entanto, o nosso Senhor não nos ensinou isso e suas últimas palavras entre seus discípulos reforçam a realidade do sofrimento na vida humana.

No Evangelho de João 16.33, Jesus falou do sofrimento como uma realidade presente neste mundo, todos estão sujeitos ao sofrimento e os cristãos, servos do Senhor Jesus e filhos de Deus não estão isentos desta realidade, muito pelo contrário, as lutas, os problemas, as enfermidades, a falta de dinheiro, violência e perseguições são realidades comuns na vida cristã. Não sabemos quando o tempo de provação e do sofrimento virá sobre nós, não sabemos qual a sua dimensão e nem sua força em nossa vida, entretanto, podemos ter a certeza de que as aflições, as dores, as lutas e os sofrimentos terão um fim, Jesus disse que mesmo em meio ao sofrimento e aflição, precisamos ter “bom ânimo”, ou seja, não desanimar, não se entregar, não se deixar levar pelas tempestades desta vida que nos afligem. Há uma pedagogia divina nas aflições, o sofrimento produz uma nova compreensão de Deus (Jó 42.2-6); produz nova alegria (I Pedro 1.3-7); intensifica a glória futura (Tiago 1.2-4); traz real consolo (2 Coríntios 1.3-4); produz sabedoria (Jó 28), origina a verdadeira humildade (Tiago 1.9-11) e o sofrimento nos torna mais dependentes de Deus.

De fato, o sofrimento é comum a todos e a dor pode nos unir, nos deixar mais solidários para o consolo e conforto do sofrimento alheio. Creio que o fato de o Senhor Jesus manter sua igreja neste mundo, é justamente para oferecermos amor, carinho e consolo para com todos aqueles que sofrem. Lembre-se que Jesus Cristo também sofreu neste mundo, ele viveu sem pecados, sem murmurações, nunca reclamou de nada e apesar de garantir a realidade do sofrimento, Jesus prometeu alívio e vitória para seus seguidores, sendo assim, a Igreja cristã repousa na confiante esperança de vencer em Jesus Cristo, de ser vitoriosa em toda e qualquer circunstância, inclusive sobre a própria morte, por causa da obra de Jesus Cristo. A Igreja crê na companhia constante do Senhor Jesus e deve confiar na sua permanente ajuda, a Igreja aguarda o poderoso dia da Ressurreição e o fim definitivo do sofrimento.

Identidade Presbiteriana por Igreja Presbiteriana do Brasil em Arcos

Igreja Presbiteriana do Brasil em Arcos
Avenida Governador Valadares, 248, Centro

Facebook: Igreja Presbiteriana do Brasil em Arcos        Instagram: @ipbarcos