UNINTER

Uma igreja sadia

Publicado em: 21 de outubro de 2019 às 10h26
Identidade Presbiteriana

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 12/10/2019) - Edição 2022

Éder Henrique - Pastor Presbiteriano

Em nossos dias a maior preocupação para com a Igreja não deve ser apenas com o seu crescimento numérico e sim a qualidade espiritual, através de uma saúde bíblico doutrinária da comunidade no corpo de Jesus Cristo. Percebe-se nas igrejas evangélicas uma falta de maturidade de seus membros que é o resultado direto da ausência de santidade.  A ausência de santidade é ocasionada pela falta de interesse de um bom conhecimento das Sagradas Escrituras e isto produz uma vida cristã pobre, imoral, sem um testemunho autêntico do poder de Deus. Se desejarmos viver como Igreja sadia, cheia do vigor do corpo de Cristo, precisamos aprender com a Palavra de Deus.

Em 1ª Tessalonicenses 1.1-10, percebe-se que Igreja de Tessalônica era sadia porque os membros haviam experimentado uma verdadeira conversão. Em Atos 17, lemos sobre Paulo, Silas e Timóteo chegaram nesta cidade depois de terem evangelizado e estabelecido uma Igreja de Jesus Cristo na cidade de Filipos. A igreja de Tessalônica recebeu o Evangelho no poder do Espírito Santo (vs. 5), sendo a segunda cidade da Europa onde fora pregado o Evangelho de Jesus Cristo. Com isso, revelando ao mundo o estilo de vida dos que foram chamados por Deus, os predestinados, os escolhidos, os vocacionados, eleitos de Deus, passaram a ser imitadores do Senhor Jesus e de seus enviados (vs. 6a); Receberam a Palavra de Deus com alegria do Espírito Santo (vs. 6b). Tornaram-se modelo para os crentes da Macedônia e Acaia (vs. 7). Abandonaram os ídolos passando a adorar o Deus único e verdadeiro. (v. 9b). O Evangelho de Jesus transforma vidas, a Palavra de Deus restaura, vivifica, fortalece e concede sabedoria. Eles evidenciaram uma transformação radical de mente e coração (lTs 1.9; cf. 2.14 e At 20.4).

Após a conversão, os membros da igreja de Tessalônica não ficaram acomodados, mas serviam ao Deus vivo e verdadeiro (vs. 9). A fé em Jesus Cristo os direcionava ao serviço e enquanto trabalhavam pela fé cristã, esperavam a segunda vinda do Senhor Jesus Cristo. Na igreja de Tessalônica estas características eram visíveis, porque eles possuíam uma fé viva e atuante, isto é registrado como uma “operosidade da fé. A fé que salva é também a fé que atua. Os tessalonicenses eram operosos na dinâmica da sua fé. Esta igreja foi eleita por Deus desde a eternidade (Ef 1.4,5) e esta eleição torna-se evidente no estilo de vida e testemunhos de seus membros (lTs 1.4). Foram predestinados por Deus, eleitos soberanamente por Deus para a salvação, chamados de maneira eficiente por Deus das trevas para a luz, por isso suas obras eram boas e glorificavam a Deus, sendo também imitadores de Jesus Cristo. Aqueles cristãos viviam na Grécia antiga, em meio a uma cultura idólatra e imoral, mas foram chamados por Deus para fazerem a diferença, mesmo sofrendo com o perigo da perseguição e morte, eles tinham coragem de seguirem o modelo de Jesus Cristo. E nós podemos fazer o mesmo?

Identidade Presbiteriana por Igreja Presbiteriana do Brasil em Arcos

Igreja Presbiteriana do Brasil em Arcos
Avenida Governador Valadares, 248, Centro

Facebook: Igreja Presbiteriana do Brasil em Arcos        Instagram: @ipbarcos