Zé Neca veterinária

25 de novembro: Dia Nacional do Doador de Sangue

Publicada em: 25 de novembro de 2021 às 08h45
Geral
Saúde

Crédito: Adair Gomez

25 de novembro: Dia Nacional do Doador de Sangue

     No dia 25 de novembro, comemora-se o Dia Nacional do Doador de Sangue. A data tem como objetivo agradecer aos doadores de sangue pela ação de doar e busca sensibilizar a população para a importância da doação.

     O mês de novembro foi escolhido por preceder um período de estoques baixos nos bancos de sangue. A proximidade das férias, de datas comemorativas de fim de ano, carnaval e outros períodos de feriados prolongados torna esse dia especialmente importante para promover o ato solidário e regular da doação de sangue, independente de se conhecer ou não pacientes que necessitam de transfusão. 

     A necessidade de sangue seguro é universal. O sangue é essencial para tratamentos e intervenções urgentes e pode ajudar pacientes que sofrem de condições com risco de vida, além de apoiar procedimentos médicos e cirúrgicos complexos. O sangue também é vital para o tratamento de feridos durante emergências de todos os tipos (desastres naturais, acidentes, conflitos armados etc.) e tem um papel essencial nos cuidados maternos e neonatais. O acesso ao sangue seguro ainda é um privilégio de poucos. A maioria dos países de baixa e média renda tem dificuldade para disponibilizar sangue seguro porque as doações são baixas e o equipamento para testagem é escasso. No mundo, 42% do sangue é coletado em países de alta renda, que abrigam apenas 16% da população mundial. 

     Doação de sangue é o processo pelo qual um doador voluntário tem seu sangue coletado para armazenamento em um banco de sangue ou hemocentro para uso subsequente em transfusões. O sangue é um composto de células que cumprem funções como levar oxigênio a cada parte do nosso corpo, defender nosso organismo contra infecções e participar na coagulação. Não existe nada que substitua o sangue (2). A quantidade retirada não afeta a saúde do doador porque a recuperação é imediatamente após a doação. Uma pessoa adulta tem em média cinco litros de sangue e em uma doação são coletados no máximo 450ml de sangue (2).

 

Pré-requisitos para ser doador de sangue:

 

– levar documento de identidade com foto e órgão expedidor;

– estar em boas condições de saúde; 

– ter entre 16 a 69 anos de idade (de 16 a 17 anos com autorização do responsável legal); 

– idade até 60 anos, se for a primeira doação; 

– intervalo entre doações de sangue de 90 dias para mulheres e 60 dias para homens;

– pesar mais do que 50 kg; 

– não estar em jejum;

– após o almoço ou jantar, aguardar pelo menos 3 horas; 

– não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas;

– não ter tido parto ou aborto há menos de 3 meses;

– não estar grávida ou amamentando; 

– não ter feito tatuagem ou maquiagem definitiva há menos de 12 meses;

– não ter piercing em cavidade oral ou região genital; 

– não ter feito endoscopia ou colonoscopia há menos de 6 meses;

– não ter tido febre, infecção bacteriana ou gripe há menos de 15 dias;

– não ter fator de risco ou histórico de doenças infecciosas, transmissíveis por transfusão (hepatite após 11 anos, hepatite b ou c, doença de chagas, sífilis, aids, hiv, htlv i/ii); 

– não ter visitado área endêmica de malária há menos de 1 ano;

– não ter tido malária; 

– não ter diabetes em uso de insulina ou epilepsia em tratamento;

– não ter feito uso de medicamentos anti-inflamatórios há menos de 3 dias (se a doação for de plaquetas).

 

     Em Sergipe, o planejamento e execução da política de sangue é realizado pelo Centro de Hemoterapia de Sergipe – Hemose – implantado em 1980, e que  integra a rede do serviço de saúde da Secretaria de Estado de Saúde – SES. O serviço funciona em sede própria, localizado no Centro Administrativo Governador Augusto Franco, Bairro Capucho, ao lado do Hospital de Urgência de Sergipe – Huse. 

     O Hemose realiza o serviço de coleta, processamento, armazenamento e distribuição de sangue e hemocomponentes sob rigorosos cuidados, que vai desde a seleção dos doadores, os ensaios sorológicos, imunohematológicos, conservação, até a utilização do produto em transfusões e  procedimentos hemoterápicos. O Centro de Hemoterapia também dispõe de atendimento ambulatorial para  portadores de doenças hematológicas. Todo o processo de coleta, processamento e dispensação do sangue é realizado por profissionais capacitados nos Laboratórios de Imunohematologia, Sorologia, Fracionamento e Garantia da Qualidade (4).

 

Seja um doador de sangue, doe vida!!!

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde - SE