Vende-se Apartamento

AMA mantém trabalho voluntário em Arcos há oito anos

Publicada em: 03 de julho de 2017 às 13h18
História de Arcos

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 24/06/2017)

 

Com a finalidade de “medir” a solidariedade das pessoas, a instituição filantrópica Charities Aid Foundation, do Reino Unido, criou o Índice Mundial de Solidariedade. As pesquisas são realizadas desde 1999. Em 2016 o Brasil registrou aumento no número de voluntários. Com isso, o país chegou à 68ª posição, seu melhor resultado desde 2009, porém, nas pesquisas está atrás do Chile, Uruguai e Peru. Na primeira posição encontra-se o país Myanmar, que fica no continente asiático; em segundo estão os Estados Unidos; e em terceiro, a Austrália. Em Arcos,um dos trabalhosvoluntários mais necessários e importantes é o prestado pela AMA (Associação Arcoense Mão Amiga).

 

 

 

Quem já ficou internado na Santa Casa de Arcos ou foi acompanhante de algum paciente nos últimos oito anos reconhece a importância do trabalho desenvolvido pela AMA (Associação Arcoense Mão Amiga), que atua desde julho de 2009 em benefício dessa unidade hospitalar.

Uma das voluntárias desde a fundação é a aposentada Geralda Borges de Oliveira, de 65 anos. Geralda relata que na época a Santa Casa passava por um período difícil e a necessidade principal era de lençóis. Foi então que o provedor do hospital na ocasião, José Maria Alves, e a administradora Kátia Almeida tiveram a iniciativa de criar a associação, baseando-se em uma já existente na Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. Eles convidaram seis senhoras para ajudar no projeto e elas convidaram algumas amigas. Entre elas estava Geralda Borges.

Inicialmente o objetivo do projeto era suprir a necessidade dos lençóis da Santa Casa. Hoje, toda a demanda de tecidos da instituição é providenciada pela AMA, inclusive para o centro cirúrgico, por meio de arrecadação de recursos.  A associação também se responsabiliza pela reforma dos colchões, dos travesseiros, das poltronas e cadeiras da enfermaria e dos apartamentos. Foi responsável, ainda, por fixar as plaquinhas onde os pacientes são identificados junto aos leitos, assim como as barras de proteção dos banheiros. “O motivo principal de a gente existir é o doente, é o assistido lá da Santa Casa. Então a gente faz de tudo para melhorar a assistência ao internado, principalmente os da enfermaria”, relata.

 

“Bazar da AMA”

Em setembro de 2009 foi criado em Arcos o “Bazar da AMA”, que inicialmente era nos fundos da Santa Casa. Hoje está funcionando na rua Farmacêutico Francisco Frias, 46, centro. Fica aberto de segunda a quinta-feira, das 14h às 17h30.

A finalidade do bazar é arrecadar dinheiro com a venda de vários itens doados pela população, para custear as despesas da associação. O CCO esteve no bazar e verificou que está à venda uma grande variedade de produtos, muitos deles novos e com ótimos preços. São roupas e calçados para homens, mulheres e crianças; bijuterias, utensílios domésticos, cama, geladeira e vários outros produtos. Os preços variam de R$1 a no máximo R$30 reais. Algumas roupas que costumam vir de boutiques ficam entre R$25 a R$30 reais.

 

Chá beneficente

Ao longo do trabalho, mais ideias foram surgindo, sendo uma delas a de servir o chá com biscoitos para os pacientes e acompanhantes durante a noite. A AMA também realiza, uma vez ao ano, um chá beneficente onde são arrecadados, em média, R$18 a 20 mil reais. Este valor é destinado à compra dos tecidos da Santa Casa, que é o serviço com o maior gasto.

 

Como se tornar voluntário da AMA

A Associação Arcoense Mão Amiga atualmente conta com aproximadamente 55 voluntários. Seis pessoas ficam no Bazar e os demais entregam o chá na Santa Casa de Arcos, todas as noites, de segunda a domingo.

Para se tornar um voluntário, antes de preencher a ficha é necessário participar da entrega do chá no hospital durante quatro semanas. É um período de experiência, para que a pessoa decida se realmente quer participar, efetivamente. Se depois dessa fase a pessoa decidir que realmente quer colaborar, deve ir até o Bazar da AMA e preencher a ficha para se tornar voluntário. O voluntário deverá conhecer o estatuto, participar de reuniões e eventos da Associação.

Geralda Oliveira disse ao CCO o quanto é bom e importante participar desse trabalho voluntário: “Eu costumo dizer que ser voluntária da AMA faz bem só pra gente, mais do que para o paciente, principalmente o trabalho que você faz lá no hospital. Eu acho que todo mundo tinha que passar por essa experiência um dia. Eu incentivo o jovem a ser voluntário, todo jovem tinha que passar por isso, eu acho que é bom para aprender a viver, a dar valor às coisas importantes, pois a juventude precisa disso e o voluntariado precisa de gente jovem”, conclui.