Empreendedor 2017

Ano novo, casa própria

Publicada em: 13 de dezembro de 2016 às 11h27
Geral

Quem casa, quer casa, já diziam nossos avós. Atrelado ao ditado está a ideia de que, juntamente com o casamento, vem a necessidade e exigência social de um novo começo, uma nova vida em outro lugar. Em outras palavras, a necessidade de se abandonar o ninho materno e construir o próprio.

Assim, durante muito tempo, as pessoas têm buscado a realização de seus sonhos por meio da aquisição de um bem durável, a casa. Alguns economizam durante anos a fio; outros sacrificam bens como carro e terrenos, sempre acreditando estar investindo no futuro.

Nos últimos anos, os cidadãos têm contado com a ajuda do governo federal por meio do programa “Minha Casa, minha vida”, que visa a tirar o cidadão comum do aluguel.

O programa, cuja finalidade é a criação de incentivos à produção e aquisição de unidades habitacionais, originou-se da tentativa de se sanar o déficit habitacional do país que, na época de lançamento, ano de 2009, era estimado em 7,2 milhões de moradias.

Para a implementação, o governo federal disponibilizou R$ 71,7 bilhões até 2014. Essa injeção de renda fez com que o setor da construção civil experimentasse um aquecimento nas vendas e um impulso na geração de postos de trabalho. 

Dividido em três faixas de financiamento, o programa oferece crédito para famílias com renda bruta mensal de até R$6.500,00, com variações nas taxas de juros e no valor custeado.

Na primeira faixa, chamada faixa 1, destinada a famílias com renda mensal bruta de até R$1.800,00, o programa custeia até 90% do valor do imóvel. Para cidadãos com renda familiar entre R$2.351 e R$3.600, o programa oferece a linha classificada como faixa 2. E, finalmente, para famílias com renda bruta mensal acima de R$ 3.600,00 e até R$ 6.500,00, há a possibilidade de acesso à moradia por meio de financiamento com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, o FGTS, com condições especiais de taxas de juros reduzidas em relação às praticadas pelo mercado imobiliário, variando em até 8,16% a.a.

Apresentamos, a título de ilustração, os números para a cidade de Divinópolis e do Estado de Minas Gerais, distribuídos por faixa de crédito.

Para a contratação, o candidato não pode ter recebido nenhum benefício do Poder Público e deve realizar seu cadastro, sujeito à aprovação para o financiamento.