Mérito Empresarial

Arcoenses se destacam no esporte equestre Team Roping

Alexandre Sousa já foi campeão mineiro no Campeonato de Laço em Dupla

Publicada em: 19 de julho de 2017 às 09h27
Esporte
Arcoenses se destacam no esporte equestre Team Roping

O arcoense Alexandre Sousa foi campeão mineiro de Laço em Dupla, juntamente a Élson Júnior, em 2012

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 15/07/2017)

Arcoenses têm se destacado no esporte “Team Roping” (laço em dupla). Dentre eles estão o médico veterinário Alexandre Rodrigues de Sousa, o educador físico Luís Carlos Teixeira Campos e o dentista Fabiano Dornelas.

Na última Divinaexpô, evento que é realizado há 47 anos e é considerado o maior rodeio de Minas Gerais, Fabiano classificou-se como finalista. Alexandre e Luís Carlos foram semifinalistas.

Fabiano Dornelas pratica o esporte desde 1998. Ao longo desses 19 anos conquistou várias premiações em Minas, São Paulo, Paraná e Espírito Santo.   Já ganhou 11 motos, um carro, dois trailers e 150 mil em dinheiro.

Alexandre Sousa é coordenador do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) na Prefeitura de Arcos e médico veterinário de equino de esporte. Em entrevista ao CCO, ele contou que começou a participar das provas em 2009. O arcoense já foi campeão mineiro de Laço em Dupla, juntamente a Élson Júnior, em 2012.

Team Roping ou “Laço em Dupla” é um esporte equestre, ou seja, esporte com cavalos. A prova consiste em um boi e dois laçadores montados em dois cavalos. O primeiro laçador é nomeado como “cabeceiro”, porque ele tem que laçar a cabeça do boi; e o segundo laçador é o “pezeiro”, que fica responsável por laçar os pés traseiros do animal. Vence a dupla que realizar a prova em menor tempo, que normalmente varia de 6 a 8 segundos.

Segundo Alexandre Sousa, os pioneiros do esporte em Arcos são Fabiano Dornelas e o médico veterinário Marcelo “Xexéu”, que começaram a praticar na década de 1990. Desde então, cresce o número de arcoenses que praticam o esporte equestre e participam de competições. Hoje na cidade existem 25 laçadores e cinco centros de treinamento. Com isso, Arcos realiza uma das maiores provas Team Roping da região Centro-Oeste e Sul de Minas.

O dentista arcoense Diego Rodrigues de Sousa, dono da empresa DRS Eventos Equestres, organiza provas em Minas e São Paulo. Os próximos eventos são os seguintes: 6 de agosto em Divinópolis, 9 de setembro em Pedro Leopoldo e 31 de outubro em Betim.  

Luís Carlos Teixeira Campos explica o que é necessário para vencer esse tipo de competição: “Para ganhar tem que ter técnica. Você tem que ter os animais treinados para esse esporte, tanto o cavalo quanto o gado. Tem que ter um cavalo bom, ter um equipamento bom e ser capacitado, procurar cursos”.

Uma grande referência no esporte é o brasileiro Lucinei Nunes Nogueira Junior (Juninho “testa”), que foi Campeão Mundial de Laço em 2016.

 

Legalidade do esporte – Alexandre Sousa explica que o Team Roping é um esporte regulamentado por lei e é registrado como natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro: “É patrimônio cultural e imaterial do Brasil pela PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 50 e regulamentado pela PEC 304, que foi votada agora no mês de maio e regulamenta as provas equestres no Brasil”, explica.

De acordo com divulgação feita no site do Senado Federal, a PEC 50/2016, criada pelo senador Otto Alencar, altera a Constituição Federal para estabelecer que não se consideram cruéis as manifestações culturais definidas na Constituição e registradas como bem de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro, desde que regulamentadas em lei específica que assegure o bem-estar dos animais envolvidos.

Segundo Alexandre Sousa, durante as provas de Team Roping tem a presença de uma comissão constituída por médicos veterinários, que são responsáveis pela avaliação da integridade física do animal, tanto do boi quanto do cavalo. Se algum competidor machucar um dos animais, ele é automaticamente desclassificado da prova.

 

Mulheres também praticam o esporte – O esporte também é praticado por mulheres. Segundo Alexandre Sousa, a arcoense Iara Dornelas viaja a vários Estados participando de competições de Team Roping.