Vende-se Apartamento
Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti

Arcos está com alto risco para surto de dengue

Publicada em: 27 de janeiro de 2020 às 14h52
Arcos
Saúde

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 25/01/2020) - Edição 2036

O Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), realizado neste mês em Arcos, apontou um índice de infestação predial de 7,1% para dengue. De acordo com dados do Centro de Controle de Endemias, este é o maior índice dos últimos cinco levantamentos realizados. O trabalho de campo para a pesquisa do LIRAa aconteceu entre os dias 13 e 17 deste mês. Foram feitas 1.192 visitas, envolvendo residências, comércios e terrenos baldios.

De acordo com o Ministério da Saúde, um índice de infestação predial inferior a 1% é considerado de baixo risco para dengue, entre 1% a 3,9% é de médio risco e acima de 4% já considerado de alto risco. Em release divulgado pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Arcos, o Centro de Controle de Epidemias informou que no LIRAa realizado em outubro de 2018, o índice de infestação foi de 5,8%; em fevereiro de 2019, o índice foi de 1,6%; em maio de 2019, de 3,9%; em agosto de 2019, de 1,1%; em outubro de 2019, o índice foi de 2,1%. Já em janeiro deste ano, o índice subiu para 7,1%.

“O Ministério da Saúde preconiza que o índice seja de até 1%. Em agosto de 2019 tivemos o nosso melhor resultado, chegamos a 1,1%, o mais próximo do preconizado; outubro foi de 2,1%. Esperávamos que esse de janeiro estivesse entre 2 a 3%, fruto do trabalho que foi realizado ao longo do ano de 2019; no entanto, ficamos diferentes das cidades da nossa região. Existem algumas observações que devem ser pontuadas: o aumento do número de chuvas foi consideravelmente maior em relação ao mesmo período anterior;  e a falta de inseticidas para os trabalhos de campo, que é de inteira responsabilidade do Ministério da Saúde”, disse Tiago Carvalho, coordenador de Epidemiologia.

A Assessoria de Comunicação informou que, com o resultado do LIRAa, será necessária a realização de ações para combater um novo surto de dengue. O Centro de Controle de Endemias irá divulgar um calendário de ações paralelas a outras secretarias e setores.

 

Combate ao mosquito

Tiago Carvalho ressaltou a importância de toda a população se mobilizar para combater o Aedes aegypti: “Em nosso dia a dia criamos ‘n’ possibilidades para que esse vetor esteja cada vez mais próximo da gente. Precisamos manter a atenção em todos os aspectos. Esse é um vetor tipicamente urbano e, por necessidade de sua sobrevivência, é natural que esteja cada vez mais perto dos humanos. Então, vale sempre lembrar a necessidade de tirar 15 minutos por semana e eliminar os focos dos mosquitos”.

Durante as visitas dos agentes de endemias nas residências, alguns focos mais encontrados são: depósitos de água, pratinhos de plantas, bandejas de geladeira, umidificador de ar, ar condicionado, filtros d’água, garrafas retornáveis e lixo.