Vende-se Apartamento

Arcos registra alto índice de problemas com consumo de crack

Publicada em: 26 de julho de 2019 às 08h40
Arcos
Estatísticas

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 20/07/2019) - Edição 2010

Arcos está entre os 13 municípios do Centro-Oeste de Minas com alto índice de problemas relacionados ao consumo de crack, de acordo com dados do ‘Observatório do Crack’ divulgados pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

De acordo com a matéria divulgada pelo G1, no dia 14 de julho, 13 cidades do Centro-Oeste de Minas têm alto índice de problemas com consumo de crack, sendo elas: Papagaios, Pitangui, Divinópolis, São Gonçalo do Pará, Nova Serrana, Arcos, Luz, Abaeté, Cedro do Abaeté, Pompéu, Carmópolis de Minas, Oliveira e Camacho.

De acordo com a CNM, os dados são atualizados no portal do Observatório desde o ano 2016. Para obter as informações, a confederação entra em contato com o responsável pelo Executivo municipal e recebe a indicação de um responsável, geralmente da área da saúde ou assistência social, que recebe uma senha e um login de aceso a um questionário online, que atualiza as informações no Portal.

Conforme o mapa traçado pelo ‘Observatório do Crack’, os municípios que aparecem em vermelho enfrentam problemas com a circulação da droga e o consumo do entorpecente, se enquadrando com uma incidência considerada alta.

 

Apreensão de drogas

O sargento Jonas Costa, da Polícia Militar em Arcos, informa que a PM tem apreendido grande quantidade de drogas em Arcos, conforme é divulgado rotineiramente. “Geralmente, quando é feito esse tipo de levantamento, eles também levam em consideração a quantidade de droga que nós apreendemos. Então, certamente, Arcos está figurando aí entre as cidades com esta situação é porque temos apreendido muitas drogas aqui, especialmente crack”, comentou. O policial opinou que os dados não mostram, necessariamente, que o problema do consumo de crack está desenfreado e, sim, que a Polícia está combatendo o tráfico de drogas e efetuando as apreensões.

 

Outras cidades

De acordo com matéria do G1, outros 19 municípios da região aparecem com um nível considerado médio dos problemas relacionados ao crack, para a circulação e o consumo de drogas. São eles: Formiga, Pains, Itapecerica, Cláudio, Carmo da Mata, Piumhi, Bambuí, Medeiros, São Roque de Minas, Bom Despacho, Martinho Campos, Leandro Ferreira, Conceição do Para, Maravilhas, Onça de Pitangui, Pará de Minas, Itaúna, Carmo do Cajuru e Lagoa da Prata.

Já Estrela do Indaiá, Córrego Danta, Moema, Araújos, Pedra do Indaiá, Tapiraí, Quartel Geral, Iguatama, Capitólio e Passa Tempo aparecem como os municípios que têm um índice considerado baixo para o crack.