Mérito Empresarial

Arcos registra diminuição de 149 postos de empregos em 2017

Publicada em: 09 de março de 2018 às 09h02
Arcos

Crédito: R7.com

Arcos registra diminuição de 149 postos de empregos em 2017

Foto ilustrativa

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 03/03/2018) - Edição 1938

O cenário do emprego no Brasil em 2017 foi negativo, de acordo com o Ministério do Trabalho. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), no ano passado o país registrou mais de 14 milhões (14.635.899) admissões e 14.656.731 desligamentos, o que resultou em um saldo negativo de 20.832 vagas de emprego. Porém, mesmo com o saldo negativo, o ano de 2017 foi melhor que o ano de 2016 – que registrou perda superior a 1 milhão (1.326.558) de empregos – e o ano de 2015, que ficou com saldo negativo de 1.534.989 milhão de vagas.

Minas Gerais, de acordo com notícia do site G1 postada dia 26 de janeiro, segue na contramão do país, porque registrou um saldo positivo de mais de 24 mil (24.296) postos de trabalho formais em 2017. Foram 1.671.895 admissões durante o ano e 1.647.599 desligamentos, de acordo com os dados do CAGED. Os registros do Estado foram melhores em relação ao ano 2016, quando mais de 2,88 milhões de vagas foram fechadas. Foi informado que dos oito setores da economia, cinco fecharam vagas em 2017, sendo: Construção Civil (-103.968); Indústria de Transformação (-19.900); Indústria Extrativa Mineral (-5.868); Serviços Industriais e Utilidade Pública (-4.557); Administração Pública (-575). Também houve três setores que, ao contrário dos demais, tiveram um aumento na abertura de vagas, como o Comércio (+40.087), o setor de Agropecuária (+37.004) e o setor de Serviços (+36.945).

 

Estatísticas de emprego e desemprego em Arcos

Na cidade de Arcos, assim como no cenário nacional, o ano também terminou com saldo negativo de empregos. De acordo com dados do CAGED, foram 4.051 admissões com carteira assinada e 4.200 desligamentos, totalizando um saldo de -149 (-) postos de trabalho. Mesmo o saldo sendo negativo, ele ainda foi melhor que o registrado no ano de 2016, com -744 empregos. Veja no quadro abaixo:

 

 

Arcos teve saldo positivo de empregos apenas nas MPEs

De acordo com matéria publicada pelo Jornal CCO na edição 1936 – 17 de fevereiro, Arcos teve um saldo positivo de empregos nas MPEs (Micro e Pequenas Empresas), onde, segundo informações do Sebrae Minas – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – o município está na 40ª posição no Estado, com um saldo positivo de 193 vagas, à frente de cidades da região como Formiga, Piumhi e Bom Despacho.

 

Microempresas e empresas de pequeno porte em Arcos representam 86% do total

De acordo com informações obtidas pelo CCO na Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), existem em Arcos, atualmente, 1.948 empresas ativas, das quais 1.496 estão enquadradas  na  Jucemg como “Microempresas”, 192 como “Empresas de Pequeno Porte” e 260 como “Outros”. Quando se soma as microempresas com as empresas de pequeno porte, chega-se ao número 1688, que representa 86% do total. Os critérios de enquadramento na  Jucemg são apenas para fins tributários, não havendo necessariamente uma correlação com critérios adotados por outras entidades que levam em consideração, além do faturamento, o número de empregados, volume de negócios e outros itens. Existem também 1.899 Microempreendedores Individuais – MEIs na cidade.

Saldo de empregos é negativo quando se considera as empresas de médio e grande porte

Quando se considerou a geração de empregos também nas empresas de médio e grande porte, o saldo em Arcos ficou negativo (-149, conforme já relatado nesta reportagem), permitindo que cidades da região ficassem à frente de Arcos em relação ao saldo de empregos. Durante o ano de 2017, a cidade de Piumhi registrou um saldo positivo de 197 empregos e Formiga teve saldo positivo de 105 vagas.  Já a cidade de Oliveira, que tem um número de habitantes aproximado ao de Arcos, registrou saldo negativo, porém, um pouco menor, com -37 postos de emprego.

 

 

Presidente da ACE destaca a importância das MPEs em Arcos

Em entrevista ao CCO, o presidente da ACE (Associação Comercial e Empresarial de Arcos), Ivis Andrade, comentou que as micro e pequenas empresas são importantíssimas para o crescimento econômico no Brasil, sendo responsáveis por mais de 60% da geração de empregos. “Em nossa cidade não é diferente; as MPEs ajudam a diminuir a desigualdade, dando oportunidades  para pessoas com dificuldades de ingressar ou retornar ao mercado de trabalho e diminuindo o desemprego. Na contramão das grandes empresas, as MPEs cresceram e criaram novas oportunidades, conforme dados do CAGED”. Ivis acrescenta que elas fortalecem a geração de empregos e o controle da economia local.