Vende-se Apartamento

Arcos registrou 349 acidentes de trânsito em 2017

O número é referente a acidentes nos trechos de rodovias próximos ao Município e também na área urbana

Publicada em: 09 de maio de 2018 às 14h05
Arcos
Estatísticas
Arcos registrou 349 acidentes de trânsito em 2017

TV bambuí

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 05/05/2018) - Edição 1947

Em matéria publicada pelo site Folha de São Paulo, no dia 31 de março de 2017, foi informado que o Brasil é o quarto colocado nas Américas em números de mortes por acidentes de trânsito, atrás apenas da República Dominicana, Belize e Venezuela. Os dados são da OMS (Organização Mundial da Saúde).

O país registra cerca de 47 mil mortes no trânsito por ano – 400 mil pessoas ficam com algum tipo de sequela. De 2009 a 2016, o total de óbitos saltou de 19 para 23,4 por 100mil habitantes. Esses acidentes têm gerado um custo de R$56 milhões ao Brasil, segundo levantamento do Observatório Nacional de Segurança Viária.

Minas Gerais, de acordo com matéria publicada no dia 19 de janeiro deste ano, pelo site O Tempo, é o estado com maior registro de acidentes e mortes em estradas federais no Brasil, considerando o ano 2017. De acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), 869 pessoas morreram nas rodovias que cortam Minas, em 12.709 acidentes. Em segundo lugar está o estado do Paraná, com 653 óbitos em 11.065 acidentes nas rodovias.

No número de feridos Minas também lidera, onde 13.143 pessoas tiveram ferimentos decorrentes de acidentes no Estado e 2.696 ficaram feridas com gravidade.

 

Registro de acidentes de trânsito em Arcos

Para obter os números de acidentes de trânsito no município, o Jornal CCO coletou informações no site números.mg.gov.br, onde estão dados do Centro Integrado de Defesa Social (CINDS) – que pertence à Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais (SEDS-MG).  O CINDS tem como objetivo a produção mensal de estatísticas e relatórios analíticos sobre a criminalidade no Estado de Minas Gerais, partindo de informações retiradas dos bancos de dados das Instituições do Sistema de Defesa Social (Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Sistema Prisional).

De acordo com dados do CINDS, a cidade de Arcos registrou 349 acidentes de trânsito no ano de 2017, sendo 143 com vítimas e 206 sem vítimas. Em comparações a anos anteriores, o ano de 2017 teve bem menos acidentes. Em 2016 foram registrados 406; em 2015 o registro foi de 438; e em 2014 foram 460. O ano com maior índice foi 2012 (primeiro ano fornecido pelo site), quando foram registrados 515 acidentes, sendo 205 com vítimas e 310 sem vítimas. Os números são referentes a acidentes nos trechos de rodovias próximos a Arcos e também na área urbana.
Veja no quadro abaixo:

 

Registro por município

Em comparação a algumas cidades da região, Arcos está em 6° lugar no número de acidentes de trânsito que ocorreram em 2017. No ano passado a cidade de Formiga registrou 751 acidentes e em 2016 foram 762. A cidade de Bom Despacho registrou 627 acidentes, número um pouco menor que o registrado em 2016 (690). Piumhi teve 448 acidentes em 2017 e a cidade de Lagoa da Prata, 414.

A cidade de Oliveira, que tem o número de habitantes (41.907) aproximado ao de Arcos (39.811), registrou um número maior de acidentes em comparação a Arcos em 2017, sendo 373, porém, no ano de 2016 o registro foi menor, tendo ocorrido 304 acidentes enquanto Arcos registrou 406. Veja ao lado:

 

Mais de 100 acidentes com vítimas em Arcos
 
No ano de 2017, em Arcos, o número de acidentes de trânsito com vítimas foi 143. A cidade de Formiga registrou 300 acidentes com vítimas; Bom Despacho, 251; Lagoa da Prata, 175; Piumhi registrou 144; a cidade de Oliveira teve 136 registros e Iguatama, 17.

 

Fatores que contribuíram para a redução

Em contato com a Polícia Militar em Arcos, o Jornal CCO perguntou quais seriam os fatores que estão contribuindo com a redução do número de acidentes de trânsito em Arcos. “Os fatores são os mais variados, mas acreditamos que o ‘carro chefe’ é uma maior conscientização por parte dos condutores e pedestres, usuários das vias públicas. Com o grande aumento de veículos no trânsito, tornou-se imprescindível a sensibilidade de todos no sentido de haver uma grande luta para evitar acidentes, principalmente com vítimas”, disse o Sargento da Polícia Militar, Jonas Otaviano Costa.