Vende-se Apartamento

Base descentralizada do Samu começa a operar em Arcos

Evento solene de inauguração contou com participação do prefeito Denilson Teixeira, vice-prefeito Halph Carvalho, vereadores, secretários, servidores e população.

Publicada em: 08 de junho de 2017 às 08h45
Saúde

A cidade de Arcos agora conta com mais segurança, saúde e proteção. Após cinco meses desta gestão, a base descentralizada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) 192 de Arcos, localizada na Rua José Arcanjo, nº182, no Bairro Brasília, iniciou nesta quarta-feira, 7, as atividades. A inauguração contou com evento solene que reuniu o prefeito municipal Denilson Teixeira, o vice-prefeito Halph Carvalho, o presidente da Câmara Municipal Marcelo Geraldo Estevam, o secretário de Saúde Vicente Reginaldo, além dos demais secretários, vereadores municipais, servidores públicos e população de Arcos.

Durante o evento, o motorista e funcionário público da Prefeitura Municipal, Davi Rezende Souza (in memoriam) foi homenageado pelos serviços prestados durante 15 anos para a saúde do município. Na ocasião foi entregue uma placa de gratidão e reconhecimento para a família, através da esposa Helena Aparecida Lopes Sousa e seus filhos David Antônio Lopes Souza e Daniel Lopes Souza.

Para o prefeito Denilson Teixeira o serviço promoverá mais saúde e prevenção da vida do povo de Arcos. Segundo ele, para manter a base descentralizada do SAMU na cidade, o município precisa arcar com mais de 200 mil por ano.  

“Agora sim Arcos pode contar com os serviços do SAMU, mas para chegar até aqui nós trabalhamos incansavelmente a fim de conquistar este recurso para a população. Foram necessárias várias reuniões, encontros com autoridades e prefeitos da região Centro-Oeste de Minas Gerais a fim de buscar alternativas para contornar a crise financeira que impediu que o serviço começasse antes. Além disso, apesar do SAMU ser de responsabilidade do Estado, o município é que está investindo para manter a base funcionando. Mas continuaremos firmes para buscar mais saúde, segurança e proteção da vida de cada cidadão arcoense, contem comigo”, finalizou.

De acordo com o condutor socorrista da base de Arcos, Daniel Moura Silva, a base descentralizada do município contará com oito profissionais, entre quatro condutores socorristas e quatro técnicos de enfermagem. O atendimento ocorre 24h por dia, todo o ano. Em Arcos a base conta com uma ambulância Unidade Suporte Básico (UBS) e é toda equipada conforme padrão do Ministério da Saúde.

Todo o serviço é informatizado e ao todo no Samu Oeste são 360 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, condutores socorristas e profissionais treinados para promover melhor atendimento à população. Além disso, ele informou que o Samu Oeste trabalha de forma conjunta para atender todos os 54 municípios da rede, com isso quando necessário, equipes de resgate de toda a região estarão disponíveis para atender a população arcoense através das UBS e Unidade de Suporte Avançado (USA).

“Nossa equipe está preparada para atender todos os casos de urgência e emergência do Centro-Oeste de Minas Gerais, portanto, trabalhamos de forma conjunta com as outras bases dos municípios desta região. Se houver algum caso mais grave em Arcos que necessite de suporte, a central reguladora de Divinópolis é informada e a partir disso a base mais próxima, ou que estiver disponível é acionada para auxiliar no resgate. Além disso, dependendo do caso, o médico que tripula a central reguladora em Divinópolis tem acesso à ocorrência a distância, através de chamada de vídeo online”, afirmou.   

Conforme o condutor socorrista, o SAMU é responsável por todos os atendimentos de resgate de urgência e emergência, ou seja, tudo que cause dor ou sofrimento. Com isso, não será mais preciso ligar para o Hospital Municipal São José. Com o SAMU, o paciente deverá ligar no número 192 e a partir do resgate, a central de regulação encaminhará o paciente para o pronto atendimento cabível.

Para o secretário de Saúde, Vicente Reginaldo, a inauguração deste serviço é de grande valia para o município já que o SAMU não representa apenas um serviço de resgate. "O Samu preconiza muito mais que o resgate, vidas são salvas devido ao atendimento e a agilidade do serviço. Todos os profissionais são treinados e capacitados para cuidar dos pacientes. No SAMU há profissionais médicos, enfermeiros e muitos dos atendimentos são feitos por telefone com muita agilidade. Os serviços são todos protocolados e, além disso, o SAMU facilita a liberação de UTI's. Arcos e a região Centro-Oeste MG estará muito mais segura com este serviço", informou.

Vale ressaltar que as chamadas feitas pelo 192 serão concentradas na central de Divinópolis, onde um médico regulador terá incumbência de destinar o tipo de ambulância e decidir de onde irá partir o atendimento. Todas as ambulâncias contam com comunicação via web, telefone e GPS, e farão os atendimentos de urgência médica, clínica e de acidentados.

 

 

Saiba sobre o SAMU Oeste

 

 

Bases descentralizadas

As bases descentralizadas são estruturas montadas nos municípios que vão sediar o SAMU. Elas garantem tempo resposta de qualidade e racionalidade na utilização dos recursos do Serviço. Há uma configuração mínima necessária em todas elas para conforto, alimentação e abrigo, das equipes e ambulâncias. Tudo isso foi vistoriado e aprovado durante as vistorias feitas por técnicos da SES.

 

Central de Regulação das Urgências

Com o SAMU, entra também em funcionamento a Central de Regulação das Urgências, sediada e já implantada em Divinópolis, de onde será feita a Regulação Médica das Urgências.

Trata-se de um núcleo que garantirá a permanente avaliação e estimativa do grau da urgência de cada caso. Este processo é feito pelo Médico Regulador, que atuará com o acolhimento de todos os pedidos de socorro que chegarem através do 192.

Mediante a avaliação, será desencadeada a resposta mais adequada a cada solicitação, no que se refere ao monitoramento contínuo do grau de urgência, até a finalização do caso, garantindo a disponibilidade dos meios necessários para a efetivação da resposta definitiva. Ou seja, garantirá o encaminhamento do paciente para a unidade de saúde previamente pactuada com o serviço.

A Central de Regulação opera com capacidade de monitoramento dinâmico do Sistema de Saúde, sendo a instância de autoridade operacional, onde se processa a função reguladora e polivalente na utilização dos recursos, refletindo sempre a relação entre a oferta disponível e as necessidades demandadas.

 

Distribuição das ambulâncias

Foram disponibilizadas para as bases, ambulâncias do tipo Unidade de Suporte Básico (USB), que serão tripuladas por um técnico de enfermagem e um condutor socorrista. Além desses veículos há também sete Unidades de Suporte Avançado (USA), tripuladas por um médico, um enfermeiro e um condutor socorrista. Estas unidades serão destinadas a Divinópolis, Luz, Campo Belo, Oliveira, Formiga, Nova Serrana e Itaúna.

As cidades foram escolhidas com base em estudos de viabilidade, sendo que a logística dessa distribuição de ambulâncias foi feita para que se situem em pontos estratégicos, de forma que o tempo entre a chamada recebida pelo 192 e a chegada da ambulância, demore no máximo 40 minutos em qualquer ponto da região.

Para a escolha também foram levados em consideração os acessos, estradas, rodovias e estradas rurais, além do perfil epidemiológico de cada município. Foi usado ainda números indicadores do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), por meio do índice de Mortalidade por Causas Externas. Esses números foram mensurados para designar a USA, de modo que este tipo de veículo possa dar uma cobertura não apenas naquele município onde ela se encontra, mas nos demais do entorno.

Todas as unidades contam com comunicação via web, telefone e GPS, o que garante interligação direta e 24 horas com a Central de Regulação das Urgências.

 

Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Arcos