Vende-se Apartamento

Base do SAMU em Arcos já realizou mais de 50 atendimentos no Município

Publicada em: 29 de junho de 2017 às 09h02
Saúde

(Matéria Publicada pelo Jornal CCO impresso em 24/06/2017)

A Base Descentralizada do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – 192) em Arcos começou a atender no dia 7 de junho. Até a manhã da última terça-feira (20), 14 dias de serviços prestados, foram feitos 54 atendimentos no Município, sendo a “grande maioria” na zona urbana. O SAMU atende a qualquer ligação feita ao 192, inclusive na zona rural. Do total de 54 atendimentos, 38 foram por causas clínicas e 16 por causas traumáticas. Destes, 52 foram feitos pela ambulância Unidade de Suporte Básico (USB) e dois pela Unidade de Suporte Avançado (USA – ambulância UTI Móvel).

 

 

 

 

Casos em que o SAMU deve ser acionado

 

O SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – 192) poderá ser acionado em qualquer situação de urgência ou emergência. As informações descritas a seguir foram obtidas pelo CCO junto à Assessoria de Comunicação do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste (CisUrgOeste), responsável pelo SAMU. Veja alguns exemplos em que o SAMU deve ser acionado: causas traumáticas – que são quedas, queimaduras graves, acidentes de qualquer natureza; causas  clínicas:  desconforto respiratório, dores torácicas, intoxicação exógena, convulsões, crises hipertensivas; causas pediátricas: qualquer situação de urgência envolvendo crianças, como causas traumáticas ou clínicas; causas psiquiátricas: qualquer ocorrência de urgência envolvendo surtos e crises de pacientes em sofrimento mental; causas obstétricas: casos de trabalhos de parto onde haja risco de morte da mãe ou do feto, ou qualquer outra situação de urgência envolvendo gestantes. No caso de chamadas da zona rural, os profissionais orientam: “Pedimos que as pessoas tenham clareza no momento de repassar o endereço, bem como uma referência, para agilizar a chegada da ambulância no local solicitado”.

 

Casos que não são atendidos pelo SAMU

 

O SAMU não atende, por exemplo, resgate de pessoas em locais que ofereçam risco, podendo ser: prédios, postes, árvores; resgate de animais, podendo ser: cavalos, cães, gatos. Essas solicitações de resgate podem ser direcionadas ao Corpo de Bombeiros.
Quanto aos atendimentos buscados presencialmente que não demandem resgate, fica a critério de o paciente ir a um posto de saúde ou hospital. Entretanto, quando socorrido pelo SAMU ele será levado para a unidade mais adequada ao caso. O encaminhamento será feito pela Central de Regulação das Urgências.

Serviço regional – O CCO perguntou quais são os Municípios atendidos pela unidade local do SAMU e se uma ambulância – em Arcos – é realmente suficiente. A Assessoria respondeu: “O SAMU é um serviço regional, cujo atendimento é feito pela ambulância mais próxima do local da ocorrência. Diante dessa regionalização, as 31 unidades para toda região Centro-Oeste são suficientes, levando em consideração toda a população”. A Assessoria ressalta que esse “não é um número avulso”. Foram feitos estudos de viabilidade para a destinação das unidades de resgate.

 

Unidades de saúde que recebem os pacientes socorridos pelo SAMU

 

Uma das perguntas feitas à Assessoria de Comunicação foi sobre a unidade de saúde, em Arcos, que deve receber os pacientes atendidos pelo SAMU: se seria apenas o “Hospital” São José, responsável pelo pronto atendimento municipal 24 horas, ou se a Santa Casa (Hospital Santa Rita – conveniado ao SUS) também deverá recebê-los. Recebemos a seguinte resposta: “O encaminhamento dos pacientes é feito por meio de um médico regulador, que busca entre as unidades conveniadas e do SUS (Sistema Único de Saúde), a mais apropriada para cada caso. Pode ser, inclusive, que o paciente seja levado para outra unidade que não seja em Arcos”. O CCO questionou quais são as unidades conveniadas em Arcos: se seriam o Hospital São José e a Santa Casa, mas ainda não obtivemos resposta. O diretor administrativo e financeiro da Santa Casa, Roberto Miranda, nos informou o seguinte, por e-mail: “A obrigação é do Pronto Atendimento, que no caso de Arcos é o Hospital São José. O Hospital São José é a porta de entrada para primeiros socorros. O mesmo é que, se necessário, encaminhará o paciente para o Hospital credenciado à rede para atendimento”. A Santa Casa de Arcos não é credenciada à rede de atendimento do SAMU, segundo Roberto Miranda: “A Santa Casa não tem pronto socorro para o SUS. O pronto socorro é feito pelo São José. A Santa Casa atende o SUS só para internações direcionadas pelo município”.

Solicitação de ambulâncias – O CCO também fez a seguinte pergunta à Assessoria do SAMU: No caso específico de Arcos, todas as vezes que o paciente precisar de uma ambulância com emergência ou urgência, ele deverá ligar para o SAMU (192)? Ou existem casos em que a ambulância deverá ser solicitada ao Hospital Municipal São José? A resposta obtida foi a seguinte: “O SAMU deverá ser acionado em qualquer situação de urgência ou emergência. O médico regulador avaliará o caso relatado pelo paciente ou pela pessoa que fez a ligação e empenhará ou não uma ambulância USA ou USB, de acordo com a gravidade do paciente.  É válido ressaltar que o SAMU poderá solicitar apoio de outros serviços como Polícia Militar, Bombeiros e as Concessionárias das Rodovias para apoio no atendimento em caso de necessidade.

 

Trotes prejudicam o trabalho

 

Desde o início das atividades do Serviço, foram recebidas 6.118 ligações na Central de Regulação das Urgências em Divinópolis; e destas ligações 1.160 foram consideradas trotes, ou seja, 18,96% das ligações. Não há como contabilizar trotes ou mesmo chamadas partindo de Arcos, pois todas as chamadas caem na Central de Regulação das Urgências, que a partir do chamado empenha uma ambulância para cada caso e local de solicitação.
A Assessoria de Comunicação do SAMU alerta que isso é preocupante, uma vez que as linhas são ocupadas com essas “brincadeiras”. Se alguém ligar necessitando de fato de um atendimento em situação de risco, essa linha não estará disponível.