Natal 2017

Bronquiolite: o que é e como pode ser evitada

Enfermidade é mais frequente em bebês e recém-nascidos

Publicada em: 10 de dezembro de 2015 às 08h21
Geral

Mais comum em bebês e em recém-nascidos, a bronquiolite é uma doença respiratória caracterizada pela inflamação dos bronquíolos, que são as pequenas vias aéreas que fazem parte das ramificações dos brônquios. A inflamação provoca o acúmulo de muco nos bronquíolos, obstruindo-os e impedindo a passagem de ar, gerando um quadro de dificuldades respiratórias semelhante ao causado pela asma.

 

A doença é mais comum em bebês, já que eles ainda não têm um sistema respiratório completamente desenvolvido e suficientemente forte, o que torna o organismo mais suscetível a inflamações e infecções. Essa fragilidade, que é ainda maior em recém-nascidos e prematuros, faz com que eles sejam os mais propensos a apresentar bronquiolite.

 

A inflamação geralmente decorre da ação de algum vírus, sendo que um dos mais comuns nessa situação é o Vírus Sincicial Respiratório (VSR), que também é conhecido por causar doenças como infecções de ouvido e pneumonia (saiba mais aqui). A bronquilite também pode ser causada por Rinovírus, Adenovírus ou Influenza, entre outros.

 

Os principais sintomas causados pela bronquilite são a dificuldade para respirar, a tosse seca, a febre e a cianose, que é o tom azulado que a pele pode adquirir em decorrência da falta de oxigênio causada pela escassez do ar respirado.

 

Como evitar?

Atualmente, não existe uma vacina ou medicação capaz de impedir a ocorrência da bronquilite. Por isso, as formas de prevenção consistem na minimização das chances que o bebê tem de adquirir o vírus a partir de medidas como a higienização de objetos, brinquedos e das mãos do bebê e das pessoas que irão tocá-lo. Além disso, evitar o contato do bebê recém-nascido com grandes aglomerações de pessoas e com crianças e adultos doentes é fundamental para preveni-lo do contato com os vírus.