Vende-se Apartamento

Contratações temporárias para atendimentos de fim de ano

Em três lojas de Arcos, o CCO foi informado que irão contratar de três a 12 temporários para o período que antecede as festas de Natal e Ano-Novo

Publicada em: 13 de dezembro de 2017 às 08h36
Arcos

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 09/12/2017) - Edição 1926

Devido à expectativa de crescimento nas vendas de fim de ano, comerciantes costumam realizar contratações temporárias para dar suporte ao atendimento ao cliente. Essas contratações, que geralmente ocorrem nos meses de novembro e dezembro, contribuem com a geração de emprego.

De acordo com informações do site do Governo do Brasil, no país, as vendas de Natal em 2017 devem gerar a contratação de 73,1 mil temporários, conforme a estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O número é 10% maior que o registrado nas festividades do ano anterior. Caso essa previsão se confirme, será a primeira vez depois de dois anos que o comércio registrará um aumento no número de empregados temporários para as festividades de fim de ano.

Em Belo Horizonte, de acordo com dados publicados no site da Fecomércio MG (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais), o volume de empresas que pretendem contratar temporários a partir do próximo mês aumentou para 16,3% contra 11,9% do ano de 2016. As principais demandas para essas contratações temporárias são para vendedores (50%), estoquistas/repositores (16,3%), operadores de caixa (12%) e auxiliares de vendas (11,6%).

Em Arcos o Jornal CCO entrou em contato com responsáveis por contratações em três lojas tradicionais, para saber quantas vagas para temporários serão disponibilizadas e qual a expectativa de venda para este fim de ano. A primeira loja é do segmento de calçados; a segunda, de presentes e variedades; e a terceira, do segmento de tecidos e vestuário.

A proprietária da loja de calçados já realizou três contratações temporárias para o setor de atendimento, completando o total de 17 vendedoras, incluindo as efetivadas. A empresária espera que as vendas cresçam pelo menos 30% em comparação ao ano anterior. “Esperamos que seja melhor. Em 2016, teve uma queda nas vendas e a gente espera que agora em 2017 supere o ano de 2016. A nossa expectativa de venda este ano é de 30% a mais que no ano passado. É o que nós esperamos, porque no ano passado foi abaixo das expectativas”, disse.

A loja recebe em média 25 currículos por mês e dá a possibilidade de seus temporários serem efetivados após as datas comemorativas. Para a nova moradora de Arcos, Júlia Cristina Silva, de 19 anos, efetivada há duas semanas pela loja de calçados, a distribuição de seu currículo agora no fim do ano foi o que garantiu sua contratação como temporária. “Eu sei que o momento não está muito bom, está em crise. Então eu sabia que seria mais difícil a contratação. Pensei em distribuir o currículo agora, porque a maioria das lojas contratam para o final de ano, e isso me ajudou muito. Eu estou gostando muito do trabalho, quero continuar e vou dar o meu melhor e me aperfeiçoar”, disse.

A segunda loja, do segmento de presentes e variedades, irá contratar 12 temporários para a área de atendimento. Serão duas pessoas a mais em relação ao ano anterior, o que, segundo a proprietária, indica uma melhor estabilidade nas vendas: “Este ano as vendas já estabilizaram, não caíram igual estava caindo. Estamos com um crescimento de 10%, igual à contratação, pois nós contratamos de acordo com o crescimento das vendas para atender bem ao cliente e satisfazê-lo o máximo possível para ele ficar a vontade”, explicou. Ela também informou que parte dos contratados são pessoas que trabalham para a loja somente nas épocas de contratos temporários, já o restante das vagas serão destinadas as pessoas que deixam seu currículo na loja. Também comentou que é muito grande o número de pessoas que vão ao comércio para pedir emprego e que em média recebem 30 currículos por mês.

No terceiro comércio, do segmento de tecidos e vestuário, a funcionária que trabalha no Caixa há 37 anos disse que poderão contratar de cinco a seis temporários para os atendimentos de fim de ano, número equivalente ao que contrataram no ano anterior. Comentou também que muitos dos que entram como temporários são efetivados, assim como ela foi efetivada quando começou a trabalhar na empresa. Nessa loja, as vagas disponibilizadas serão para área de atendimento e organização de mercadoria, e não é necessário ter experiência.