Animalis

Cruzeiro vira empresa em dezembro e será comprado no 1º trimestre de 2022

No Brasil, os conselhos de Cruzeiro e Botafogo já assinaram a favor, e, com certeza, teremos todos os outros clubes no mesmo caminho

Publicada em: 27 de outubro de 2021 às 09h21
Esporte

Crédito: foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)

Cruzeiro vira empresa em dezembro e será comprado no 1º trimestre de 2022

No Brasil, os conselhos de Cruzeiro e Botafogo já assinaram a favor, e, com certeza, teremos todos o

Cruzeiro vai virar clube-empresa - em dezembro, tão logo o Campeonato Brasileiro termine. Quem garante é o CEO, Pedro Mesquita, do Banco de Investimentos da XP, um dos maiores bancos de investimentos do Brasil, responsável pelas principais negociações dos grandes grupos no mundo de Investiment Bank, que já tem 15 clientes assinados, em contrato de confidencialidade, e no primeiro trimestre de 2022, um deles será o escolhido para ser o dono do Cruzeiro.

Conselho Deliberativo do clube já votou a favor da transformação em empresa, e é um processo sem volta: "O que está acontecendo agora será uma mudança radical de paradigma do futebol brasileiro. A Lei do Clube-empresa dá a possibilidade de todo clube que tem problema fiscal, dívida ou esteja em qualquer série, seja privatizado.

No Brasil, os conselhos de Cruzeiro e Botafogo já assinaram a favor, e, com certeza, teremos todos os outros clubes no mesmo caminho. Já conversamos com uns 10 clubes, e vamos dar o Start no Cruzeiro, pois ele tem 9 milhões de torcedores e isso é um grande atrativo para qualquer investidor. Não posso dar os nomes dos possíveis investidores com os quais a XP Investimentos já assinou contratos, mas o Cruzeiro será o primeiro grande clube do Brasil e virar empresa", garante Pedro Mesquita.

Ele diz que os investidores analisam o tamanho do clube e sua torcida, e fazem a seguinte comparação: "quanto vale uma assinatura de TV que tenha 10 milhões de assinantes? Vale muito, é claro. Assim é com o Cruzeiro. São 9 milhões de "clientes", consumidores, e isso empolga qualquer investidor. É como acontece na Europa, nos grandes clubes, como Manchester City, United, e todos que têm donos e que se transformaram em clubes mundiais, tamanha a visibilidade. E, vale lembrar, que o Cruzeiro tem mais torcida do que qualquer clube da Inglaterra, portanto, é um gigante do nosso futebol, e se tornará um gigante aos olhos do mundo".
Pedro Mesquita garante que a XP Investimento está trazendo para o Brasil investidores da Europa, Oriente Médio e Estados Unidos. "Temos 15 investidores que estão em processo de análise, interessados no Cruzeiro.

Vamos escolher um deles, no primeiro trimestre do ano que vem. Ainda não há proposta financeira, porque não chegamos nessa etapa. Será entre novembro e dezembro. Aí, vamos analisar e escolher a melhor delas. Vamos escolher não só em termos quantitativos, melhor proposta em dinheiro, como também, qualitativo. O Cruzeiro estará em grandes mãos".

O CEO DA XP garante que vai fazer a melhor venda para o investidor que tiver o melhor projeto para o clube, de futebol e de dinheiro. "Essa nova lei nos dá a tranquilidade jurídica. O investidor que assumir o clube, vai por um CEO que cuidará do futebol, e o presidente, seja ele quem for, será apenas o cara a comandar o clube social. Ele não terá nenhuma interferência no futebol.

Vale lembrar que 20% de tudo o que for arrecadado, será usado para pagamento da dívida antiga. Com uma gestão profissional no Cruzeiro, a receita será imensa. O Brasil é um dos maiores consumidores do mundo do futebol".

O processo de internacionalização do Cruzeiro, começará assim que ele for comprado pelo investidor. Ou seja, virará um clube do mundo, onde torcedores de vários continentes estarão seguindo-o e ligados nele. É assim que funciona com os grandes clubes da Europa, e não será diferente com os clubes brasileiros. Isso chama-se modernização e profissionalização. Os conselhos deliberativos dos clubes não vão apitar mais nada no futebol, assim como os presidentes. Quem mandará no futebol será o CEO escolhido pelo investidor, e ponto.

O Cruzeiro é um dos 5 maiores clubes do Brasil, e terá seu espaço no mundo, e o investidor está de olho nos clientes, no caso do Cruzeiro, são mais de 9 milhões de torcedores e consumidores. O clube vai voltar aos seus melhores dias, de conquistas e finanças equilibradas e rentáveis. Estamos muito felizes de dar esse pontapé inicial no futebol brasileiro, num gigante chamado Cruzeiro. O torcedor pode ficar feliz. Terá muito o que comemorar. A transformação do Cruzeiro em Clube-empresa é uma realidade sem volta", finaliza Pedro Mesquita.

Pedro Mesquita diz que dificilmente o investidor será brasileiro, e explica o motivo: "o dólar está muito alto, ruim para o brasileiro investir. Portanto, todos os 15 investidores com quem já conversamos e assinamos o contrato de confidencialidade, são de fora, da Europa, Oriente Médio e Estados Unidos, como eu disse acima.

Eles têm moeda forte e muita capacidade de investimento". Ele garante que outros 12 clubes brasileiros vão virar empresa, e que aquele não o fizer, ficará para trás, perdido no tempo e no espaço.
Com a criação do Clube-empresa, o investidor vai profissionalizar o clube, com folha enxuta, projeto de marketing gigante, e o fará crescer mundialmente. "Foi o que aconteceu com os clubes do futebol inglês e outros centros. O City, United, Chelsea, Sahktar e outros.

Fonte: Jornal Estado de Minas - Jaeci Carvalho