UNINTER

Famílias cadastradas no CAD Único não têm gastos com velórios em Arcos

Publicada em: 12 de novembro de 2019 às 14h59
Arcos

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 09/11/2019) - Edição 2026

Com a finalidade de melhorar os serviços de auxílio funeral oferecidos aos cidadãos cadastrados no CAD Único (Cadastro Único do Governo Federal), a Administração Municipal inaugurou, no dia 1º de novembro, o “Velório Municipal Parque da Saudade”, que conta com duas capelas para atender a duas famílias simultaneamente e toda a estrutura necessária para melhor realização dos velórios.

 

Homenageados

A capela número “UM” recebeu o nome “Sr. Eponino Davi Franco”, que faleceu em 2009, aos 88 anos. A viúva, Dona Carmem, estava presente junto a familiares. O casal teve nove filhos: Antônio, Neusa, Márcia, Marina, Leonardo, Isaías, Júlio, Ana Lúcia (In Memoriam) e Marcos Daniel. Sr. Eponino prestava serviço de transporte voluntário para a comunidade, quando somente ele tinha veículo na região de Três Barras, onde fica a fazenda da família. Sempre que solicitado, trazia as pessoas para a cidade. Preocupado em beneficiar ainda mais a população, foi vereador sem remuneração na gestão do prefeito Albertino da Cunha Amorim (Zito Leão).

A capela número “DOIS” registra a memória do comerciante Gilson Veloso da Cunha. Era casado com Neide Aparecida Veloso e pai de três filhos: Ana Clara Veloso da Cunha, Letícia Veloso da Cunha e Miguel Veloso da Cunha. Era um comerciante bem-sucedido, proprietário do Supermercado Tropical no bairro Brasília. Foi, ainda, um excelente artista, tendo participado por muitos anos da dupla Gilson e Jáder.

Em um ato ecumênico de orações e bênçãos da nova estrutura do Velório Municipal, foram convidados o padre Dimas José Borges, da paróquia São Cristóvão e o pastor José de Sousa, da Igreja Evangélica Assembleia de Deus.

 

“Não vai ficar uma placa como ficaria em uma ponte, avenida ou escola, mas vai ficar uma ‘placa’ guardada em muitos corações nesta cidade” – Pastor José de Sousa.

O pastor José de Sousa disse que o serviço prestado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Integração Social está proporcionando dignidade para aqueles que não têm condições de arcar com os custos de um velório. “Hoje a Prefeitura está oferecendo uma urna e a coroa [e também o café e o traslado]. Quantas pessoas, que talvez na hora de velar a pessoa que mais amava, não teve condições de comprar uma coroa de flores com o nome da família? Quero externar minha alegria, porque esse ato está proporcionando dignidade para as pessoas que têm mais carência em nosso município e isso é louvável. Não vai ficar uma placa como ficaria em uma ponte, avenida ou escola, mas vai ficar uma ‘placa’ guardada em muitos corações nesta cidade. Tenho certeza que os próximos prefeitos que virão irão dar continuidade”, disse, em um depoimento que emocionou o prefeito e outras pessoas presentes. Em seguida, fez uma oração de gratidão a Deus pela Administração Municipal e um pedido especial. “Pedimos sabedoria, coragem e êxito, para que o trabalho das mãos do prefeito, vice-prefeito, dos secretários e vereadores gere frutos e beneficie a população”.

 

Governo doa urna, coroa de flores, traslado e café para as famílias cadastradas no CAD Único

O prefeito Denilson Teixeira comentou que muitas famílias são surpreendidas com a morte de um parente e nem sempre têm condições de arcar com as despesas. “A Prefeitura auxiliava com um salário mínimo, mas o velório fica em torno de R$2.500,00. Então, nós nos sensibilizamos e agora damos o caixão, a coroa de flores, o café e o traslado. Quando a família volta pra casa, vai saber que não tem dívida para pagar”. Não há nenhum custo com a locação do espaço para o velório no Cemitério Municipal. O local também pode ser cedido para pessoas que têm condições financeiras, mas querem velar o ente no Cemitério Municipal, economizando com locação, mesmo que o sepultamento seja feito no Cemitério Paroquial. Quanto ao caixão, a coroa de flores, o café e o traslado, são destinados apenas às famílias cadastradas no CAD Único.

O vice-prefeito, Halph Carvalho, argumentou que embora Arcos seja considerada uma cidade rica, “o povo trabalha para colocar comida na mesa”, ou seja, muitas vezes a renda não é suficiente em uma situação em que precisa pagar por um velório. “As despesas ficam muito altas e as famílias ficam endividadas. Desde o início do governo, o prefeito teve o desejo de construir essas capelas para acolher os velórios, principalmente das famílias mais carentes de Arcos”, comentou.

O vereador João Carlos de Oliveira falou da relevância do serviço inaugurado e fez agradecimentos ao Governo Municipal, pela visão de um serviço que vai beneficiar principalmente a classe mais necessitada. “Parabenizo o Executivo e toda a administração”.