Mérito Empresarial

Fisioterapeuta faz alerta aos governantes sobre falta de atendimento a pacientes carentes

Publicada em: 24 de maio de 2016 às 14h38
Geral
Fisioterapeuta faz alerta aos governantes sobre falta de atendimento a pacientes carentes

Fisioterapeuta Camila Alves

(Matéria publicada pelo Jornal CCO em 22/05/2016)

 

Devido a um desabafo sobre as condições do sistema de saúde em Arcos, feito nas redes sociais, o Jornal CCO procurou a fisioterapeuta Camila Alves na manhã da última terça-feira (17), para que a profissional pudesse formalizar o alerta.

 

Segundo Camila Alves, o objetivo é chamar a atenção dos governantes municipais quanto ao atendimento na área de fisioterapia para os pacientes do sistema público de saúde. Camila não sabe a razão, mas revelou que muitos pacientes não estão sendo tratados, pois recebe pedido de ajuda de várias famílias que dependem do serviço público e não conseguem arcar com as despesas de um tratamento particular.

 

A fisioterapeuta ainda disse que os argumentos dos pacientes que procuram por ela são praticamente os mesmos. “Os pacientes vão em busca de atendimento, esperam um tempo muito grande nos postos de saúde e vão embora sem atendimento. Não sei se é por falta de profissionais, verba ou qual seria o motivo, sei que é isso que os pacientes dizem”.

 

 

Sistema público

 

De acordo com a fisioterapeuta, as famílias carentes que procuram atendimento no seu consultório enfatizam que tentaram várias vezes o serviço público, mas sem sucesso. Como existe a urgência no tratamento, fazem um esforço enorme e pagam. “Depois de não ter o recurso no sistema público, fazer o quê, né?”, exclamou Camila.

 

Camila observa que na rede municipal existe grande demanda, mas a oferta não consegue acompanhar. Segundo ela, teoricamente, os postos de saúde têm fisioterapeutas que deveriam atender a essa demanda em seus respectivos bairros, mas na prática é diferente. Camila adverte que a administração municipal deve fiscalizar e cobrar dos profissionais e ouvir mais os usuários do sistema público de saúde, pois esses usuários podem relatar de forma ainda mais clara o que acontece realmente.

 

 

Fiscalização

 

Camila diz que, como acontece em qualquer área da saúde, as fiscalizações devem ser constantes para que se possa equilibrar a demanda com a oferta do serviço. “O serviço deve ser fiscalizado frequentemente para que a Administração consiga checar o desempenho e qualidade do serviço prestado”, ressaltou.

 

A fisioterapeuta ressalta que os profissionais precisam ter boas condições de trabalho para motivar ainda mais a prestação do serviço à população. Segundo Camila, existem muitos pacientes que necessitam tratamento especializado, como idosos e acamados, devido a fraturas e outras doenças, mas as despesas para atender aos casos em domicílios são muito baixas, o que permite a oferta do serviço.

‘A fisioterapia pode ajudar muito! Às vezes pode até reverter um caso, como em várias situações. A pessoa volta a realizar suas funções diárias e ter qualidade de vida’.

 

A fisioterapeuta Camila Alves comenta que o objetivo da matéria é alertar o poder municipal quanto às necessidades dessas famílias carentes. “A fisioterapia pode ajudar muito! Às vezes pode até reverter um caso, como em várias situações. A pessoa volta a realizar suas funções diárias e ter qualidade de vida”, ressaltou.

 

Em um dos comentários postados na publicação de Camila Alves em uma rede social, um dos postadores, de forma indignada, comentou que, por falta de profissionais, o pai dele perdeu todos os movimentos do corpo, falecendo posteriormente.

 

 

Governo Municipal

 

O CCO disponibilizou espaço para que o Governo Municipal se manifestasse e fez alguns questionamentos. Perguntamos, por exemplo, quantos fisioterapeutas prestam o serviço e quantas pessoas estão aguardando atendimento atualmente.

Na manhã da última sexta-feira (20), a assessora de comunicação Rossela Santos ligou na Redação e disse que responderá aos questionamentos, para publicação na edição do CCO do próximo domingo.