Top of Mind 2019 - Miss Brasil
1918 Centenário de Nascimento 2018

Geraldo Zuquim de Amorim

Publicada em: 07 de dezembro de 2018 às 14h19
Recortes do Tempo - Histórias de Arcos

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 1°/12/2018) - Edição 1977

1918 / 1º dezembro.

Nessa data, há cem anos, nascia em Ibituruna-MG -  próximo a São João Del Rey, onde morava a família, Geraldo Zuquim de Amorim, filho de Martiniano Zuquim e Acrysia Amorim Zuquim.

Seu pai, Martiniano Zuquim , foi o pioneiro da industrialização do calcário em Arcos.

Geraldo Zuquim  nos idos de 1940 foi para o Rio de Janeiro, então Distrito Federal -  Capital do Brasil, para dar segmento em sua vida profissional.

Cursou dois anos de engenharia e dois anos de medicina, não completado nenhum, pois, seu tempo foi ocupado assistindo à sua empresa, uma Importadora e Distribuidora de Peças Automotivas, e período difícil Pós-Guerra.

Em 1945, casou-se com Nelly Neves Zuquim professora, música, violinista solo da Sinfônica de São João Del Rey, filha de João Neves Primo e Honorina Nogueira Neves sendo este, Agente Administrativo da Estrada de Ferro Oeste de Minas – EFOM – depois RMV – RFFSA – Centro Atlântica, em São João Del Rey.

Morando no Rio de Janeiro, à rua Isolina, nº 70, Méier, Geraldo e Nelly tiveram vida ativa na Capital Federal, ele sendo atleta de vôlei do Mackenzie e ela, violinista da Orquestra Sinfônica do Rio de Janeiro.

Na Capital Federal, eles tiveram dois filhos: Sérgio Neves Zuquim e Ricardo Neves Zuquim (1947 e 1949).

A partir de 1951, Geraldo Zuquim com Nelly e os filhos, mudaram-se para Arcos, onde Geraldo iria trabalhar juntamente com seu pai Martiniano Zuquim na mineração de Calcário e fabricação de Cal virgem.

Exportaram calcário para diversos clientes em todo Brasil – Fabricaram, cal virgem em Arcos e Garças de Minas – distribuídos em todo o país.

Nos idos de 1950 e 1960, Geraldo Zuquim era procurado para auxiliar em mais variadas necessidades: Redação de Correspondências, Confecção de Contratos, Convites, Cartazes e Eventos, além de Medir Temperaturas , aplicar injeções, fazer curativos, tudo gratuitamente.

Em Arcos, Geraldo e Nelly tiveram mais quatro filhos: Geraldo Neves Zuquim (1952), Alexander Neves Zuquim (1955), Sônia Maria Neves Zuquim (1958) e Roberto Neves Zuquim (1960).

Além de sua presteza, falou alto e em bom tom, o seu lado de Atleta. Em 1954, mais precisamente no dia 13 de junho que, juntamente com outros amigos desportistas, com a maior força da esposa Nelly, fundaram a gloriosa Associação Atlética Arcoense, que até hoje é orgulho na cidade de Arcos.

Geraldo Zuquim de Amorim, foi o 1º Presidente da Diretoria Executiva da Associação Atlética Arcoense, e até sua morte foi o eterno Secretário, não abdicando ajudar aos demais presidentes (muitas vezes, assumindo). Era um verdadeiro “INDIO”.

Certa vez, para auxiliar a Associação  no âmbito patrimonial, Geraldo Zuquim vendeu a geladeira de sua casa para saldar o problema, e olha que em Arcos, na época, só existiam 05 casas com geladeira. Posteriomente, para ter escritura devidamente Registrada do Patrimônio, Geraldo vendeu sua Radiola (móvel tipo cômoda com rádio e toca disco automático e auto falantes). Era uma grana!

Isto, Geraldo Zuquim demostrou ser pessoa de Amor sem limites, com incrível desprendimento de bens materiais, para realização de sonhos, vontade, empenho e concretização de obras, agremiações, em prol da comunidade.

Ainda nos anos “50”, precisamente em 1958, Geraldo Zuquim teve o prazer de três comemorações:  a primeira, o nascimento da única filha, Sônia Maria, após quatro filhos. A segunda,  o Brasil sagrando-se Campeão Mundial de Futebol com Pelé, Garrincha e Cia e a terceira, a aprovação de seu filho Sérgio, no exame de seleção do Colégio Santo Antônio, em São João Del Rey, em 1º LUGAR, obtendo assim, desconto de 50% nos estudos. Sérgio foi preparado pelo saudoso Professor Roulien Ribeiro Lima. Ele Vibrava!

Anos 60 – Geraldo Zuquim continuava seu trabalho nos fornos de cal e na pedreira Limeira. Muitos vagões de calcário marroado, foram carregados na estação de Batista de Almeida com destino a Barra Mansa-RJ e Volta Redonda-RJ.

Geraldo Zuquim, para aqueles que o conheceram, era uma pessoa equilibrada, não falava alto, educado. Acompanhava a revolução do mundo, sem nenhuma restrição ou  preconceito. Era uma pessoa atualizada, ou seja, UM CARA LEGAL – MODERNO – APOIAVA A JUVENTUDE! Deu força para seu filho Sérgio, no conjunto musical “Os Jovens”; para o Ricardo com seus cabelos longos e calça “boca de sino”; para Geraldinho e Alex com seus “LEVA E BUSCA” as namoradas. Sônia e Roberto ainda não agitavam! – Geraldo somente resolvia qualquer problema, no diálogo.

Gostava de frequentar o Clube Campestre e nadava ida e volta de uma margem a outra. Era exímio nadador, gostava de assistir jogos os da Associação, às vezes outro time, e terminava o domingo vendo Fantástico.

Politicamente, Geraldo Zuquim sempre esteve presente, mas nunca participou pessoalmente de eleição a qualquer cargo. Sempre esteve do lado que se dispusesse administrar  satisfazendo  os anseios da população.

Sempre família, Geraldo Zuquim de Amorim, jamais deixou de participar dos eventos familiares, seja, aniversários, batizados, casamentos, levando sempre a sua simpatia, sorridente e com aquele papo agradável, sincero transmitindo sabedoria e respeito com quem dialogava.

O último evento no qual participou, foi o aniversário de um ano de sua neta e afilhada de batismo, Patrícia Maria, filha de Sérgio, no dia onze de agosto de 1975.

Geraldo Zuquim continuava sua vida normalmente, quando em 16 de agosto de 1975 sofreu um Infarto do Miocárdio, sendo conduzido ao Hospital São João de Deus em Divinópolis, onde, naquela época, com recursos escassos na medicina, veio a falecer no dia trinta de agosto de 1975, com 56 anos.

No cortejo fúnebre, a partir do trevo de Pains, após a colocação da bandeira da Associação Atlética Arcoense sobre a urna mortuária, seguiu-se em carreata com dezenas de veículos de desportistas arcoenses, da Associação, Ypiranga, Vila e de outras agremiações, até sua residência, onde foi velado e após, sepultado no Cemitério Paroquial.

Arcos sentiu sua partida deste mundo!

A nós, seus descendentes, filhos, netos, bisnetos, enfim todos que ainda virão, cabe-nos a obrigação de darmos continuidade na obra e vivência de uma pessoa exemplar: GERALDO ZUQUIM DE AMORIM.

Desejaríamos hoje, parabenizá-lo pelos cem anos pessoalmente, mas, na impossibilidade, temos a grata certeza que tal ato está sendo concedido por DEUS!

 

Sérgio Neves Zuquim