AACD Teleton

Idosos e demais vulneráveis devem se vacinar contra pneumonia

Segundo o coordenador da clínica de imunizações da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SP), Alfredo Gilio, essas vacinas podem evitar complicações em casos de Covid-19

Publicada em: 30 de julho de 2020 às 16h43
Arcos
Saúde

Crédito: opovo.com

Idosos e demais vulneráveis devem se vacinar contra pneumonia

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 25/07/2020) - Edição 2061

Em matéria publicada no Portal G1, no dia 8 de abril, assinada pela jornalista Luíza Tenente, é orientado que grupos vulneráveis (idosos, diabéticos, asmáticos graves e soropositivos, por exemplo) “podem diminuir o risco de internação e de piora do quadro de Covid-19, se forem imunizados contra a pneumonia bacteriana, que causa inflamação nos pulmões”.

Na reportagem são citadas três razões para que essas pessoas tomem as vacinas pneumocócicas: “Infecções virais, como a Covid-19, comprometem o sistema imunológico e aumentam o risco de contaminação bacteriana. O paciente ficará ainda mais debilitado se tiver as duas doenças simultaneamente; Mesmo aqueles que não contraírem o coronavírus podem aumentar a probabilidade de ter a doença caso sejam internados por causa de uma pneumonia; Na maioria dos casos de internação por pneumonia, o paciente precisa de respiradores mecânicos e, provavelmente, faltarão aparelhos no Brasil”.

Na matéria, o coordenador da clínica de imunizações da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SP), Alfredo Gilio, explica que os vírus alteram os mecanismos de defesa do organismo, facilitando a entrada de bactérias. Grupos vulneráveis têm maior risco de contrair infecção bacteriana, o que irá agravar o quadro. A jornalista também se fundamentou em entrevista concedida pelo presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), imunologista Renato Kfouri.

 

Você deseja ser vacinado? Informe-se!

O CCO recorreu à enfermeira Ângela Margarete, responsável técnica pela Vigilância em Saúde em Arcos, para informar os critérios para vacinação na rede pública e também na rede particular. Ela disse que as vacinas para evitar pneumonia, pneumo 13 e pneumo 23, estão disponíveis nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE) desde 2019. Na rede pública de saúde, ficam restritas a grupos específicos. No caso da Pneumo 13 (pneumocócica conjugada 13 valente), é destinada a pessoas com HIV/AIDS, pacientes transplantados de órgãos sólidos, pacientes oncológicos.

Já a pneumo 23 (pneumocócica polissacarídica 23 valente), é destinada a pessoas com HIV/AIDS; Asplenia anatômica ou funcional e doenças relacionadas; Pneumopatias crônicas, exceto asma intermitente ou persistente leve; Asma persistente moderada ou grave; Cardiopatias crônicas; Nefropatias crônicas / hemodiálise / síndrome nefrótica; Transplantados de órgãos sólidos ou de células-tronco hematopoiéticas (medula óssea); Imunodeficiência devido ao câncer ou à imunodepressão terapêutica; Diabetes mellitus; Fístula liquórica; Fibrose cística (mucoviscidose); Doenças neurológicas crônicas incapacitantes; Implante de cóclea; Trissomias; Imunodeficiências congênitas; Hepatopatias crônicas; Doenças de depósito. Além das indicações contidas no CRIE, a Pn23 também é indicada para pessoas a partir dos 60 anos de idade, quando hospitalizados ou residentes em instituições fechadas, como asilos, casas geriátricas e casas de repouso; povos indígenas. E ainda: Em casos de esplenectomia eletiva, a vacina deve ser aplicada pelo menos 15 dias antes da cirurgia, preferencialmente. Em casos de quimioterapia, a vacina deve ser aplicada pelo menos 15 dias antes do início da QT, preferencialmente.

Esses são os critérios do Ministério da Saúde para a distribuição da vacina sem custo para os cidadãos. Se você se encaixa nos grupos acima especificados e deseja ser vacinado, deve comparecer à sua unidade de saúde, levando a receita médica com um laudo especificando o CID de sua doença e levar seu cartão de vacinas com todas as vacinas em dia. A partir de então, será feito o pedido da vacina e encaminhado ao CRIE, localizado na GRS (Gerência Regional de Saúde) de Divinópolis, que analisará o pedido e, posteriormente, enviará as vacinas solicitadas para a unidade solicitante. Essa unidade entrará em contato com o paciente, marcando um horário para que ele tome a vacina e, se necessário, fará a aplicação em domicílio, se o paciente estiver acamado.

Segundo Ângela Margarete, neste ano de 2020, 29 pessoas em Arcos já receberam essas vacinas.

 

Esquema da vacinação

Embora o Ministério da Saúde (MS) apresente os critérios já citados nesta reportagem, para liberação das vacinas na rede pública, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomenda um esquema de vacinação com a 13 e a 23 para: crianças maiores de 6 anos, adolescentes e adultos, quando tiverem alguma doença crônica; idosos com 60 anos ou mais. Quem não se encaixa nos critérios do MS, teria que comprar a vacina.

“O número de doses e o intervalo entre elas dependerão da situação vacinal do paciente, da idade e da doença crônica que eventualmente apresente. Para idosos, por exemplo, a SBIm orienta a vacinação rotineira a partir dos 60 anos, com uma dose da pneumocócica 13 valente e, de 6 a 12 meses depois, uma da 23 valente. Já para os grupos de risco, independentemente da idade, a recomendação é de uso sequencial da 13 e da 23, com intervalo de dois meses entre elas”, conforme nos relatou a enfermeira Ângela Margarete.