Vende-se Apartamento

Incêndio destrói loja de roupas no centro de Arcos

Segundo proprietário, várias hipóteses são analisadas, até mesmo um curto-circuito na rede elétrica

Publicada em: 28 de março de 2016 às 10h19
Geral
Incêndio destrói loja de roupas no centro de Arcos

Empresário vê como fatalidade o incêndio ocorrido na Loja

(Matéria publicada pelo Jornal CCO em 27/03/2016)

 

A empresa Lojão das Roupas foi tomada por um incêndio na tarde do último dia 19. O proprietário, Cláudio Cupertino dos Santos, recebeu a reportagem do Jornal CCO, na manhã de terça-feira (22), para relatar detalhes.

 

Segundo Cláudio, foi uma fatalidade. O proprietário disse que a empresa está instalada há 20 anos na cidade de Arcos, e que jamais imaginou que isso pudesse acontecer. “Tudo foi um grande susto”, comentou e ressaltou que,  mesmo com prejuízo financeiro significativo, ficou aliviado ao saber que ninguém se machucou.

 

A empresa não tem seguro e, de acordo com o proprietário, o incêndio pode ter se iniciado por diversos fatores, com um curto circuito na rede elétrica. Cláudio disse que não houve nenhum dano significativo nas estruturas do prédio, nos andares superiores ou prédios vizinhos, mas aguarda um laudo do Corpo de Bombeiros para comprovar.

 

 

Prejuízos

 

Destacando que não houve prejuízo humano, Cláudio contou que o prejuízo financeiro foi considerável. Segundo ele, todo o controle de cheques pré-datados e o sistema de informática da loja foram destruídos. “Vou ter que começar do zero”, disse.

 

“O prejuízo financeiro ainda depende de cálculos, mas é recuperável; e independente do prejuízo, a maior certeza que tenho é que devo muito a Deus por ninguém ter se machucado. O financeiro, com o tempo se resolve”, completou.

 

 

Não faltou ajuda

 

Cláudio contou que ficou impressionado com a disponibilidade de populares para controlar o incêndio. Segundo ele, o apoio veio de várias direções; e se não fosse assim, o pior poderia ter acontecido. Além da Prefeitura, por meio dos funcionários Álvaro Velozo e Jader Sousa, várias empresas disponibilizaram caminhões-pipa para as primeiras ações de combate ao incêndio, como foi o caso da Agrimig, CSN, Franco Engenharia, Bet Peças, Sicoob Arconcredi, Wellington Cardoso, Adore Comidaria, e dois bombeiros da CSN que estavam de folga no momento do incêndio, Luís Felipe e Michel. 

 

Cláudio destaca e agradece ao Corpo de Bombeiros de Formiga,  às polícias Militar e Civil de Arcos e a todos os vizinhos e populares que ajudaram.

 

 

Reestruturação

 

Segundo o empresário, a reestruturação da empresa acontecerá o mais breve possível e os funcionários continuarão sob seus cuidados. Cláudio disse que adotará medidas preventivas para evitar um novo episódio. Itens de segurança serão instalados e um seguro será feito. De acordo com ele, haverá uma reestruturação física da loja e, se novos reparos forem necessários no prédio, eles também serão feitos. Cláudio disse que é difícil projetar o retorno. Antes, a empresa passará por análises de segurança, novo projeto, execução do projeto, o que, segundo ele, demanda tempo.

 

O empresário ainda destacou a necessidade de se ter uma unidade do Corpo de Bombeiros em Arcos. Na opinião dele, pela dimensão da cidade, mediante o acontecido, seria de grande importância.

 

 

Fé inabalável

 

Chamaram a atenção do repórter do CCO, a serenidade e o positivismo do empresário e de sua equipe, o que, de acordo com suas palavras, é reflexo do carinho que sempre recebeu da população em todos os momentos.

 

Segundo ele, Arcos abraçou e prestigiou sua empresa durante todos esses anos, mas esse acontecimento mostrou o quanto é imenso o calor humano da população. “Eu gostaria de abraçar a todos os arcoenses pelo apoio. Obrigado, Arcos! Vocês me abraçaram em um momento delicado, e isso nunca vou esquecer”.