UNINTER

Índice do LIRAa de outubro é considerado de médio risco

Publicada em: 31 de outubro de 2019 às 16h38
Arcos
Saúde

No dia 25 de outubro foi divulgado pelo Setor de Epidemiologia e pela Secretaria Municipal de Saúde o resultado do Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) que foi realizado em outubro.

O levantamento apontou um índice de infestação de 2,1%, sendo assim considerado de médio risco pelo Ministério da Saúde. O resultado deste LIRAa teve um leve aumento em relação ao último levantamento que foi realizado em agosto, onde foi registrado um índice de 1,1%. Já em comparação ao LIRAa realizado em outubro de 2018, em que o índice foi de 5,8%, houve uma considerável redução. Veja no quadro abaixo:

 

 

 

 

Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti

Mês

Ano

Resultado do índice

Outubro

2018

5,8%

Fevereiro

2019

1,6%

Maio

2019

3,9%

Agosto

2019

1,1%

Outubro

2019

2,1%

 

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, o levantamento foi realizado entre os dias 14 e 18, divididos em três regiões, onde a primeira e a segunda região têm 28 bairros em cada e na terceira região apenas 6 bairros.

Na primeira região, conforme o Relatório de Positividade, foram detectadas dez residências com focos de larvas do mosquito. Destas dez residências, seis estão na região central da cidade. Os focos estavam em: caixa d’agua, vasilha de margarina, calhas, tambores de plástico, ralinho, pia e bebedouro.

Na segunda região os focos foram encontrados no bairro Brasília, Santo Antônio, Vila Boa Vista, Santa Cruz, Sol Nascente e Jardim Esplanada. Já na terceira região foram encontrados focos no bairro Calcita, Nossa Senhora Aparecida, São Judas e Juá.

Em release o Coordenador da Vigilância Epidemiológica, Tiago Carvalho, comentou sobre os focos encontrados: “O que chama a atenção é que cada vez mais os focos de larvas do mosquito estão sendo encontrados dentro das residências, a cada vez mais próximo das pessoas”.

 

Boletim Epidemiológico

De acordo com o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos Casos de Dengue, Zika e Chikungunya, da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), no ano de 2019 foram registrados 3.495 casos prováveis de Dengue. Nos meses de maior epidemia, como janeiro, o número de casos chegou a 1.151.

No mês de junho, com a queda na temperatura, os casos de dengue diminuíram passando para 197. Já no mês de julho foi notificado apenas um caso. Desde a queda no número de casos da doença foram registrados apenas 11 casos prováveis, sendo um em julho, dois em agosto, sete em setembro e até o momento, um em outubro.