Mérito Empresarial

IOEB 2017: Pesquisa referente a 2015 mostra que Arcos avançou para a 282ª posição

O município ocupava a 549ª posição; a cidade ainda está atrás de outras da região

Publicada em: 09 de março de 2018 às 08h34
Educação

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 03/03/2018) - Edição 1938

Arcos subiu 267 posições no Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB/2017) referente aos dados de 2015: está na ducentésima octogésima segunda (282ª) posição no Brasil, que tem 5.570 municípios. No estado de Minas Gerais, Arcos se encontra na centésima quarta (104ª) posição.

A pesquisa identifica quanto cada cidade ou Estado contribui para o sucesso educacional dos indivíduos que lá vivem. A criação foi uma iniciativa do Centro de Liderança Pública (CLP) com o apoio do Instituto Península, da Fundação Lehmann e da Fundação Roberto Marinho.

De acordo com a divulgação das instituições, o índice inclui as crianças e os adolescentes em idade escolar que deveriam estar na escola e não estão - responsabilizando, de forma inédita, municípios e Estados por todas as crianças e adolescentes que vivem naquela localidade e não estão na escola.

Em 06 de março de 2016, o CCO publicou a matéria intitulada: Arcos está fora da lista das 500 cidades com melhores índices da Educação no Brasil. Na época, de acordo com o IOEB 2015 (dados de 2013), o município estava na quingentésima quadragésima nona (549ª) posição, com pontuação 5.1. Nas colocações daquele ano, o município ficou atrás das seguintes cidades da região: Japaraíba (45ª posição); Formiga (81ª); Itaúna (98ª); Piumhi (166ª); Córrego Fundo (184ª); Lagoa da Prata (217ª); Itapecerica (259ª); Oliveira (284ª); Luz (335ª); Moema (366ª) e Pimenta (493ª).

Os novos resultados divulgados pelo IOEB de 2017, referentes aos dados de 2015, mostram que Arcos evoluiu para a ducentésima octogésima segunda (282ª) posição no Brasil, conforme já citado. O município ficou com o índice 5.2, enquanto o estado de Minas Gerais ficou com 5.0 e o Brasil, com 4.7.  Em todas as esferas as notas são baixas, considerando que a pontuação é de 0 a 10. Contudo, Arcos superou os índices nacional e estadual.

 

Arcos continua atrás de Japaraíba, Formiga, Piumhi, Lagoa da Prata e outras cidades da região  

Mesmo tendo avançado na classificação, Arcos ainda ficou atrás de algumas cidades da região, como: Piumhi, que está entre os 25 melhores municípios do Brasil, com a 19ª posição e o índice 5.6; Lagoa da Prata, que ocupa a 43ª posição, com índice 5.5; Japaraíba, que ficou na 154ª posição, com índice 5.3; Pimenta, na posição 245ª e índice 5.2; e a cidade de Formiga, que ficou na 266ª posição, com índice 5.2.

Da mesma maneira houve cidades da região que ficaram em uma posição abaixo da cidade de Arcos, a exemplo de Oliveira. (Veja no quadro abaixo):

O município de Sobral (CE - Ceará), com população estimada em 205.529 habitantes, segundo o IBGE, está na 1ª posição no Brasil desde 2015, com índice 6.2. Em segundo lugar está a cidade de Frecheirinha (CE), com população estimada de 13.669 habitantes e com índice 6.0. Em terceiro, o mérito é para Nova Olinda, também localizada no estado do Ceará, com população de 15.433 habitantes e índice de 5.9. Observe que são cidades com diferentes números de habitantes.

 

A cidade de Japaraíba se destacou negativamente na mudança de posição em relação à pesquisa anterior. Da posição 45ª, caiu para a posição 154ª. Já a cidade de Lagoa da Prata, que anteriormente estava na 217ª posição, subiu para 43ª, se destacando positivamente.

Desempenho do município em cada fator do IOEB - O IOEB é formado pela soma dos indicadores de resultados, insumos e processo educacionais. Esses indicadores avaliam a qualidade dos professores, o tempo e a jornada das crianças na escola, experiência dos diretores e outros fatores. Um dos pontos avaliados nesses indicadores é a proporção de docentes com pelo menos o ensino superior completo. Nesse quesito a cidade de Arcos obteve a mesma pontuação, 9,2, nas pesquisas divulgadas em 2015 e 2017, acima do registrado em Minas Gerais e no Brasil, que foi 8,0.

Já em relação à média de hora-aula diária das escolas públicas e privadas das turmas de Ensino Fundamental e Ensino Médio, o município registrou uma queda na pontuação, saindo de 1,5 na pesquisa divulgada em 2015 para 1,3 na que foi divulgada em 2017. O Estado registrou um índice de 1,0 e o país teve a pontuação 1,6. Veja no quadro abaixo:

Avaliação é de todas as redes de educação do município

De acordo com a divulgação da pesquisa, o IOEB mostra a qualidade das oportunidades educacionais no Município. Engloba todas as redes educacionais do município e contempla todas as crianças e adolescentes em idade escolar, incluindo também quem está fora da escola e não deveria estar. O IOEB oferece os dados sobre a qualidade do ecossistema da educação para crianças e jovens de uma determinada localidade.

O CCO questionou à Assessoria de Imprensa de uma das instituições responsáveis pelo IOEB, o CLP, se os melhores resultados do índice em Arcos foram referentes às escolas públicas municipais, públicas estaduais ou as escolas particulares. Em resposta ao Jornal, a assessoria informou que o índice não avalia as escolas separadamente, mas o município de forma geral.

O site ioeb.org.br divulga que “o IOEB é também uma ferramenta para incentivar e cobrar que os gestores da educação trabalhem em conjunto pela melhoria da qualidade da educação dos municípios e estados”.