Vende-se Apartamento

Não há previsão para retorno das aulas das redes estadual e municipal

Segundo gestores das duas redes de ensino, ainda não existe a possibilidade de que os alunos percam o ano letivo

Publicada em: 02 de julho de 2020 às 10h14
Arcos
Educação

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 27/06/2020) - Edição 2057

Desde o dia 18 de março, as aulas na rede estadual de ensino foram paralisadas em todo o estado de Minas Gerais, pelo Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde da Covid-19, devido à pandemia.

Tendo em vista o grande período de paralisação das aulas, que já se prolonga por mais de três meses, no dia 12 de maio a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) lançou o Regime de Estudo não Presencial para os alunos das escolas estaduais, com o intuito de minimizar os efeitos da suspensão das aulas. Para ter mais informações sobre o funcionamento desse regime de estudo e para saber se existe uma previsão para o retorno das aulas, o Jornal CCO entrou em contato com a Superintendência Regional de Educação, em Divinópolis.

Segundo a superintendente regional de ensino de Divinópolis, Luiza Amélia Coimbra, o Regime de Estudo não Presencial consiste em aulas online que estão sendo disponibilizadas pelo Estado e que estão atendendo a todos os níveis de escolaridade e modalidades de ensino. Ela explicou que existe um controle feito pelos professores de cada turma, pelos supervisores escolares e pelos gestores de cada unidade de ensino, para saber se todos os alunos estão participando das aulas.

Questionamos se as atividades online fornecidas pelo Estado estão de acordo com a grade de estudo de cada ano e se serão realizadas avaliações. A superintendente de ensino explicou que as atividades estão seguindo a Base Nacional Comum Curricular com o Currículo Referência de Minas Gerais. Ela também disse que o Regime de Estudos não Presenciais segue as orientações e regulamentações estabelecidas pelo Conselho Estadual de Educação de Minas Gerais; com isso, até o momento, não há regulamentação que sustente a realização de avaliações online.

 

Retorno das aulas

Segundo Luiza Coimbra, ainda não ocorreu nenhuma sinalização da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) no sentido de retomada das aulas presenciais. Para que isso aconteça, é necessária a realização de estudos mais amplos por parte do Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde da Covid-19.

Questionamos também se será necessário que os alunos repitam o ano letivo. "Não se trata de repetir o ano letivo, mas, sim, de reorganizar o calendário escolar, objetivando garantir a realização de atividades escolares que atendam aos objetivos de aprendizagem previstos nos currículos da educação básica", disse. A superintendente comentou que quando o retorno presencial for possível, será realizada uma avaliação diagnóstica dos estudantes, por meio da observação do desenvolvimento em relação aos objetivos de aprendizagem e habilidades que se procurou desenvolver com as atividades pedagógicas não presenciais.

Quanto aos alunos do 3° ano do ensino médio, a superintendente disse que estão sendo realizados trabalhos com vista à realização do Enem 2020. A Superintendência Regional de Educação em Divinópolis chegou a firmar uma parceria com a Faculdade UNA Divinópolis, desde março deste ano, para fornecer a 4 mil estudantes da rede a oportunidade de participarem gratuitamente do Pré Enem UNA/SRE Divinópolis, com acesso a aulas virtuais semanais voltadas a todas os interessados. Basta enviar um e-mail para ser.divinop.gab@educação.mg.gov.br. Em relação aos alunos que moram na zona rural ou que não têm acesso à Internet, eles estão recebendo planos de estudos tutorados impressos.

 

Aulas na rede municipal

Na rede municipal de ensino, o secretário municipal de Educação, Halph Carvalho, disse que também não há uma previsão para o retorno das aulas presenciais. Segundo ele, o governo municipal segue o Decreto do Governo do Estado, que proíbe o retorno das aulas. Com isso, é necessário que o governador decrete uma flexibilidade nas medidas, para que o município tenha autonomia de iniciar as aulas.

"Hoje, estamos proibidos de funcionar, todas as escolas de qualquer rede. Então, com o Governador suspendendo este decreto, aí sim, nós teremos autonomia enquanto rede municipal de ensino para fazer um plano de retomada das aulas", explicou.

Nós perguntamos ao secretário se os alunos correm o risco de perder o ano letivo de estudos: "Não se discute esse assunto em reunião nenhuma, não há esse assunto em momento nenhum. Nós estamos trabalhando justamente para que nós possamos minimizar os prejuízos, para não perdermos o ano letivo".

Halph comentou que as atividades pedagógicas continuam sendo entregues aos alunos normalmente, para que não percam o hábito de estudar e o vínculo com a escola. Nos dias 24 e 25 foi entregue mais um bloco de atividades para os próximos 15 dias. Na última quarta-feira, dia 24, também foi lançada pela Secretaria Municipal de Educação uma plataforma digital de estudos para os alunos. Segundo Halph Carvalho, o novo projeto, que se chama Educação Conectada, utiliza uma plataforma do Google para educação. O login e a senha para os alunos acessarem a plataforma foram entregue no dia 24, junto com as atividades de estudo.