Mérito Empresarial

Número de crimes violentos em Arcos diminuiu mais de 45% em 2017

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais (Sesp), os roubos também tiveram redução de 40,7%

Publicada em: 01 de fevereiro de 2018 às 13h20
Arcos

Crédito: Arquivo CCO

Número de crimes violentos em Arcos diminuiu mais de 45% em 2017

Policiais Militares e Civis

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 27/01/2018) - Edição 1933

O índice de criminalidade em Arcos reduziu consideravelmente no ano de 2017 em comparação ao ano de 2016.
De acordo com dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais (Sesp) disponibilizados no Portal Números, o registro total de crimes violentos diminuiu 45,6% em 2017 em comparação ao ano de 2016. Os dados mostram que foram registrados 25 crimes violentos em 2017 e 46 em 2016.

Veja no quadro abaixo:

 

 

 

 

 

 

Houve também uma queda no registro total de outros eventos de defesa social. Dentre eles está a extorsão consumada, o furto consumado e a lesão corporal consumada. No ano de 2016 foram registrados 637 casos. Já em 2017 o registro foi de 418 casos, uma redução de 34,3%.

 

 

Entre todos esses crimes, aqueles que podem ser considerados mais graves também tiveram uma redução considerável. De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais, os furtos consumados em 2017, quando foram registrados 311, tiveram uma diminuição em 35,4% em relação ao ano de 2016, que teve 482 registros de furtos.

Já os roubos consumados foram registrados 16 no ano de 2017 e 27 em 2016, acontecendo uma redução de 40,7%.

Os homicídios consumados mantiveram o mesmo número, sendo 02 tanto em 2017 quanto em 2016.
Em relação aos estupros consumados, em 2016 Arcos registrou 07 e no ano de 2017 houve 01 registro. Já os estupros de vulnerável consumados reduziram de 08 em 2016 para 03 em 2017. Veja na tabela abaixo, com a comparação dos últimos quatro anos:

 

 

São Paulo e Minas: estados do Sudeste com o melhor índice de segurança

O Atlas de Violência 2017, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostra que o índice de violência no Brasil tem aumentado muito nos últimos anos. Em relação aos homicídios, segundo consta no atlas, apenas em três semanas são assassinadas no Brasil mais pessoas do que o total de mortos em todos os ataques terroristas no mundo que aconteceram nos cinco primeiros meses de 2017, e que envolveram 498 casos, resultando em 3.314 vítimas fatais.

A pesquisa mostra que em 2015 o país registrou 59.080 homicídios, já em 2005 ocorreram 48.136. A maior parte desses atos violentos acontece na região Norte e Nordeste do país, onde estão apenas 2% (111) dos municípios brasileiros que são responsáveis por metade dos casos de homicídios no país. Já a região Sudeste, nesta pesquisa, é a responsável pelos menores índices de violência.

De acordo com uma pesquisa realizada por uma empresa de consultoria, publicada no site Exame.com, São Paulo e Minas Gerais são os estados do Sudeste com o melhor índice de segurança e com os menores números de homicídios. Nesse estudo, Minas Gerais está em quarto lugar no país em relação à segurança e também em quarto com a menor taxa de homicídios.

Fatores que levaram à redução, segundo a PM
O CCO solicitou ao assessor de comunicação da Polícia Militar em Arcos, sargento Jonas Costa, que fizesse uma análise dos números apresentados. Veja o comentário dele: “A redução nos índices de criminalidade violenta em Arcos, na verdade, é resultado de uma soma de esforços de várias correntes do bem. Podemos citar alguns ‘elos’ desta corrente: boa articulação e sintonia das entidades envolvidas diretamente com a segurança pública – Polícia Militar, Polícia Civil, Ministério Público, Poder Judiciário e os outros dois poderes de âmbito municipal, Legislativo e Executivo; apoio da Imprensa na divulgação maciça das principais ocorrências policiais, garantindo a transparência das ações dos profissionais da área e consequente legitimidade e credibilidade junto à população de bem; engajamento e dedicação dos policiais no correto cumprimento do seu dever, mesmo quando várias são as razões para desanimar, como a sensação de impunidade existente no país e as críticas muitas vezes infundadas. Graças a tudo isso, estamos seguindo em sentido contrário ao que ocorre de forma geral no Brasil, ou seja, enquanto os índices criminais aumentam dia a dia na maior parte do país, conseguimos reduzir consideravelmente tais índices no nosso município. Agradecemos imensamente à população de Arcos pelo feito, pois reflete bem o apoio que temos das pessoas de bem na luta contra o crime. Solicitamos que continuem a denunciar e a fornecer às polícias informações consistentes sobre a atuação de criminosos, de forma que possamos melhorar ainda mais nossos índices”.