Vende-se Apartamento

Projeto Doutorzinhos da Alegria promove momentos de atenção, carinho e afeto

Publicada em: 03 de julho de 2019 às 10h47
Arcos

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 29/06/2019) - Edição 2007

Criado em novembro de 2016, o projeto Doutorzinhos da Alegria promove na cidade de Arcos ações que levam alegria e bem-estar a muitas pessoas da comunidade. Fundado pela técnica de enfermagem Miriam Aparecida da Silva Castro, o projeto tem o objetivo de formar equipes estruturadas para realizar ações que buscam valorizar o próximo e outras ações esporádicas que visam sempre ao bem-estar social das pessoas.

Segundo Miriam Castro, que também coordena as atividades, o trabalho foi iniciado na cidade de Lagoa da Prata e hoje busca se firmar em Arcos. A oportunidade de criar o projeto nasceu quando ela e um grupo de adolescentes, que faziam parte do segmento de outro movimento, foram convidados a visitar o SOS em Lagoa da Prata, onde foi sugerido que todos fossem caracterizados. A partir daí nasceu o sonho de iniciar as ações. “Nessa ocasião eu estava passando por um período muito difícil com minha mãe, quando ela lutava contra o câncer. Foi onde vi a necessidade de transformar a dor que eu sentia naquele momento, na oportunidade de transformar o que eu estava sentindo por vê-la naquela situação, em alegria e amor. Foi uma forma que encontrei para amenizar minha angústia. Deu certo”, contou.

Naquela visita, ela pôde alegrar o dia dos idosos que se encontravam ali, juntamente aos adolescentes que a acompanhava: “Consegui mostrar aos adolescentes o valor que devemos dar ao próximo, seja oferecendo um simples sorriso sincero, um minuto de atenção, carinho e afeto”.

 

Projeto conta com 12 pessoas em Arcos

Atualmente o projeto Doutorzinhos da Alegria, que não possui vínculo com instituições políticas e nem religiosas, conta com 12 voluntários na cidade de Arcos e com 25 voluntários em Lagoa da Prata, envolvendo o apoio de crianças, adolescentes, jovens e pessoas de várias idades, que atuam de forma gratuita e voluntária. Todas as pessoas envolvidas no projeto são voluntárias, respeitando as normas e obrigações acordadas conforme o Termo de Voluntariado. Todos possuem uma ficha cadastral para que o projeto possa prestar um trabalho sério e transparente.

As ações são realizadas em abrigos, hospitais, lares de idosos, com famílias de baixa renda, moradores de rua e crianças e adolescentes em situação de institucionalização. Em Arcos as ações acontecem na APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), no Asilo ‘Lar Pousada dos Bertos’, na Santa Casa de Arcos e também com moradores de rua, onde grande parte se aglomera próximo ao Posto Xodó.

 

 

Projeto precisa de mais voluntários

A coordenadora está buscando mais apoio para criar um calendário anual com ações e projetos sólidos que possam ser desenvolvidos de acordo com a necessidade. Também busca a concretização de toda a documentação, incluindo o registro do projeto como uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos.

Precisam do apoio da comunidade e a inclusão de mais pessoas que estejam dispostas a doar seu tempo: “O tempo será transformado em ação para fazer o bem ao próximo e dedicar o que mais temos de valor e que nos foi dado de graça: o amor. Quem se sentir tocado por esta causa pode procurar os membros do projeto ou entrar em contato comigo, fazer o cadastro e ter o comprometimento em participar das ações”, comenta. Com o aumento no número de membros, o projeto poderá aumentar também o número de pessoas que são acompanhadas por ele.

Todas as sextas-feiras são realizadas as reuniões do grupo e o preparo e distribuição das marmitas a moradores de rua. É um momento onde acontece troca de ideias e de perspectivas do projeto.

Para mais informações, entre em contato pelo número: (37) 9.9128-5003. Ou pelo email: doutorzinhosalegria19@hotmail.com