AACD Teleton
CONSULTAS COM ESPECIALISTAS NA FUMUSA

Retorno será gradual, começando pelos atendimentos urgentes de ginecologia

Publicada em: 20 de maio de 2020 às 14h46
Arcos
Saúde

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 16/05/2020) - Edição 2052

Desde o mês de março, as consultas com especialistas que atendem na Fumusa (Fundação Municipal de Saúde e Assistência de Arcos) estão suspensas, para evitar aglomerações e possíveis infecções com o coronavírus. É importante ressaltar que o serviço de pediatria foi mantido na íntegra.

No dia 27 de abril, o CCO perguntou ao secretário municipal de Saúde, João Júlio Cardoso, qual é a data prevista para o retorno dos atendimentos, uma vez que muitos pacientes, inclusive cardíacos, consultavam e se submetiam a eletrocardiogramas a cada três meses. Também fizemos outras perguntas e todas foram encaminhadas para a equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde.

Os questionamentos foram respondidos pela responsável técnica da Vigilância em Saúde, Ângela Margarete Ribeiro e pela enfermeira Aline Cristina Miranda Araújo. Elas informaram que a Secretaria de Saúde de Arcos segue as recomendações do COES Minas (Centro de Operações de Emergência em Saúde), com estratégias para enfrentamento à COVID-19.

Diante da situação epidemiológica atual, optou-se por um retorno gradual e sistematizado dos atendimentos ambulatoriais, com segurança para os usuários, proporcionando um ambiente saudável, objetivando evitar a disseminação da doença. "Primeiramente retomaremos o atendimento de ginecologia, priorizando os casos mais urgentes encaminhados pelas unidades básicas de saúde. Em um segundo momento, ainda a ser definido, serão retomados os serviços de dermatologia e as demais especialidades, seguindo o mesmo modelo".

As datas ainda não foram divulgadas. A Assessoria de Comunicação divulgou na terça-feira, 12, que os atendimentos serão em dois dias da semana e com quatro pacientes previamente agendados.  

Também em publicação da Assessoria, Ângela Margarete Ribeiro informa que ainda é preciso resguardar as pessoas do grupo de risco. "Certas especialidades tratam diretamente com pacientes portadores de doenças crônicas. Estes, por enquanto, ainda não voltam até termos certeza que é seguro".

O Centro de Fisioterapia, conforme as outras especialidades, retomará suas atividades gradualmente e ainda não foi definida a data.

O serviço de eletrocardiograma eletivo será retomado quando os cardiologistas voltarem a atender. Quanto aos pedidos de urgência, continuaram sendo atendidos.

O CCO também perguntou se os médicos continuam sendo remunerados neste período em que não estão atendendo. Foi informado que "os concursados se encontram de férias e os contratados recebem por produção, sendo assim, os que não estão trabalhando não estão recebendo".

 

Como fica a situação de pacientes com doenças crônicas e hipertensos que consultavam a cada três meses na Fumusa?

"Segundo o Ministério da Saúde, os hipertensos são classificados de acordo com o grau de risco; e mediante tal classificação, o Município deverá fornecer consultas da seguinte maneira: Baixo Risco: uma consulta na UBS (Unidade Básica de Saúde) a cada seis meses; Médio Risco: uma consulta na UBS e uma consulta com especialista ao ano; Alto e Muito Alto Risco: uma consulta na UBS e duas consultas com especialista ao ano. Esse protocolo também se adequa às outras condições crônicas", informam as enfermeiras. Elas ressaltam que mesmo diante da suspensão das consultas com especialistas na Fumusa, a população não ficou desamparada, sendo que os pacientes são acompanhados e podem renovar suas receitas nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde).

 

Como o paciente irá saber se é de baixo,  médio ou alto risco?

Segundo a enfermeira Aline Araújo, todo paciente deve ser classificado na Unidade Básica de Saúde durante consulta de hipertenso. O meio utilizado para classificação do risco cardiovascular é o Escore de Framingham, que utiliza para o cálculo do risco de evento cardiovascular, a pressão arterial sistólica e o colesterol total ou o LDL-colesterol. Também utiliza nos cálculos a idade, se o paciente fuma ou não, se é diabético ou não e os níveis de HDL-colesterol. "O ideal é que o paciente passe por atendimento [na UBS] a cada seis meses, onde será realizada uma nova classificação de risco cardiovascular, reavaliada a medicação em uso e sua efetividade e fornecida a receita até a próxima avaliação. É importante ressaltar que durante a pandemia do coronavírus, os pacientes eletivos deverão ligar na sua Unidade para agendar esse atendimento para evitar aglomeração", orienta.

 

Pacientes devem continuar buscando atendimento médico quando necessário

Ainda estamos na fase de enfrentamento à Covid19, o que tem afastado as pessoas das unidades de saúde, geralmente por temerem a contaminação. Contudo, é importante não esquecer que as outras doenças continuam existindo. Portanto, não descuide de sua saúde, principalmente se você é hipertenso, cardíaco, diabético, enfim, se  tem qualquer doença crônica que requer acompanhamento contínuo. Nesses casos, busque informações, inicialmente por telefone, no Posto de Saúde de sua região. Vá  ao Hospital Municipal São José apenas em casos de urgência e emergência.

As enfermeiras Ângela e Aline ressaltam que é de extrema importância que a população não procure por atendimento médico somente em situações críticas. "Reforçamos que as unidades de saúde se encontram aptas a atender a essa demanda; e em casos de urgências, esses pacientes poderão ser referenciados também para o CEAE em Santo Antônio do Monte".  

É muito importante, principalmente nesta fase de pandemia, manter uma alimentação equilibrada e hábitos saudáveis, para evitar ficar doente.