Santa Cassa

Rev. Saulo Matos se dedica ao pastoreio da IPB em Arcos e Lagoa da Prata

“O objetivo de todo cristão, segundo o ensinamento das Escrituras, por meio do Apóstolo Paulo em 1ª Coríntios 10:31, é viver para a Glória de Deus” – Rev. Saulo de Oliveira Matos

Publicada em: 22 de setembro de 2019 às 08h00
Arcos
Destaques

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 31/08/2019) - Edição 2016

O Reverendo Saulo de Oliveira Matos é pastor efetivo da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) em Arcos, desde maio de 2018. Ele mora em Lagoa da Prata e também é pastor efetivo da 2ª IPB daquele município. Em entrevista ao Jornal CCO, falou sobre o seu ministério e o crescimento da igreja evangélica no país.

Rev. Saulo é natural de Divinópolis e é formado em Teologia, pelo Seminário Teológico Presbiteriano ‘Rev. Denoel Nicodemos Eller’, em Belo Horizonte. Ele também atua como vice-presidente do Presbitério Oeste de Minas e como membro do Tribunal de Recursos do Sínodo Oeste de Minas. Já pastoreou a IPB da cidade de Campos Altos, da cidade de Luz e de Córrego Danta.

Com o falecimento do Reverendo João Aleixo Marques, que foi pastor da IPB em Arcos de 2010 a 2018, o Rev. Saulo foi nomeado como pastor efetivo da igreja. Por morar em outra cidade, ele conta com o auxílio do Presbítero e Licenciado ao Sagrado Ministério, Éder Henrique de Faria, que está à frente dos trabalhos eclesiásticos da igreja.

Segundo o reverendo, a Igreja Presbiteriana do Brasil em Arcos, que está completando 51 de fundação, foi a primeira igreja protestante presente na cidade de Arcos e seu primeiro pastor foi o Rev. Messias Leite. “Como congregação, o trabalho presbiteriano em Arcos se iniciou no fim da década de 1950, no século passado, precisamente em 1958. A Igreja Presbiteriana foi a primeira igreja protestante presente em nossa cidade”, contou. Segundo o pastor, para celebração dos 51 anos da igreja, haverá comemorações nos dias 2 e 3 de novembro.

Na IPB em Arcos, o reverendo disse que deseja dar sequência ao trabalho do antigo pastor, de anunciar e ensinar a Bíblia Sagrada. “Nossa expectativa, com relação a um futuro próximo, é o de continuar o excelente trabalho desenvolvido pelo nosso saudoso Pastor Aleixo, glorificando, prestando culto a Deus e servindo à comunidade. O objetivo de todo cristão, segundo o ensinamento das Escrituras, por meio do Apóstolo Paulo em 1ª Coríntios 10:31, é viver para a Glória de Deus”.

 

Crescimento do número de evangélicos

De acordo com matéria do site Terra.com, de 29 de junho de 2019, o número de evangélicos no Brasil cresceu aproximadamente 61,5% em dez anos, com 16 milhões de novos fiéis, conforme levantamento do Censo 2010 do IBGE. Segundo a pesquisa, entre 2000 e 2010, o total de evangélicos no Brasil subiu de 26,2 milhões para 42,3 milhões e a proporção dos evangélicos em relação à população do país avançou de 15,5% para 22,2%.

Com base nessas informações, perguntamos ao reverendo sobre seu ponto de vista em relação a esses números e se a tendência é que continue crescendo o número de evangélicos no Brasil. Ele disse que, atualmente, o país está vivendo um momento de interesse pelo estudo do ‘Ser de Deus’ ou da ‘Teologia’ e também existem muitas modalidades teológicas em nossa nação, que estão agradando a vários grupos da sociedade. Além desses fatos, ressaltou: “Nossa sociedade pós-moderna é marcada pela ansiedade, depressão e pelos distúrbios emocionais de manifestações distintas. Isso também tem despertado a busca humana pelo Deus revelado na Bíblia Sagrada, como o verdadeiro auxílio em suas adversidades, como destaca o Sl 46:1 - ‘Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem-presente nas tribulações’ “. Segundo ele, essas situações têm contribuído para que as igrejas evangélicas sejam mais procuradas e a tendência é que isso continue ocorrendo.

Rev. Saulo Matos disse que o trabalho mais relevante da igreja para com a sociedade é o de se comprometer a proclamar o Evangelho de Cristo. “Uma verdadeira igreja evangélica é comprometida com os princípios éticos e morais ensinados na Bíblia. Embora os trabalhos sociais sejam de extrema importância, o que temos de mais precioso é o conhecimento da Palavra de Deus e da Salvação que temos por meio de Cristo Jesus”.

No fim da entrevista, perguntamos sobre quais são os desafios de ser um pastor hoje em dia. Para ele, um dos principais desafios é pregar o Evangelho com a fidelidade requerida na Bíblia e também o fato de, às vezes, ter que disciplinar algum irmão da igreja, ato que para ele requer equilíbrio. Já em relação ao preconceito contra pastores, ele disse: “Creio que ele é advindo de alguns líderes que se autodenominam ‘pastores’, sem o chamado de Deus para isso e sem o preparo teológico necessário, com o objetivo apenas monetário. Esta condição, muito frequente em algumas igrejas de nosso país, gera escândalos que trazem consigo, inevitavelmente, o preconceito por parte da sociedade”, disse.