Filha de faxineira e porteiro passa em Medicina na USP. 3 anos de estudo

Filha de faxineira e porteiro passa em Medicina na USP. 3 anos de estudo
Imagem de capa para Filha de faxineira e porteiro passa em Medicina na USP. 3 anos de estudo

Marya é filha de faxineira e porteiro e passa em Medicina após 3 anos de estudo. - Foto: arquivo pessoal

Determinação e muito foco! Foi assim que a jovem Marya Teresa Ribeiro, 20 anos, realizou o maior sonho da vida dela. Filha de uma faxineira e um porteiro, ela acaba de ser aprovada em medicina pela Universidade de São Paulo (USP).

Marya é de Santos, no litoral de São Paulo, e diz que teve que estudar aproximadamente 17 horas por dia por três anos para conquistar a vaga. Para manter a rotina puxada de estudos, a jovem contou com o apoio dos pais, que mesmo com numerosas dificuldades provocadas por um trabalho pesado, foram fundamentais no aprendizado na garota.

A jovem disse que nem acreditou quando foi aprovada na primeira chamada. Segundo ela, a ficha só caiu quando veteranos do curso mandaram mensagens desejando parabéns. “Eu percebi que era real e que aquela lista não estava errada”, disse.

Mudança de rotina

Segundo a jovem, foi preciso “fazer escolhas” entre momentos de lazer e estudo. Não abandonou a igreja e sempre foi aos cultos todos os domingos. A fé e a família foram dois pilares para mantê-la focada em passar no vestibular.

Quando estava cansada e pensava em desistir, buscava apoio nos pais, especialmente na mãe, que a inspirou a estudar medicina e a cuidar das pessoas. Eles nunca frequentaram a faculdade, mas sempre acreditaram nela e apoiaram o sonho da filha.

A família materna de Marya é de Nazaré da Mata, em Pernambuco, e se mudou para São Paulo em busca de novas oportunidades. Para Marya, ter pessoas que enxergam a educação como uma forma de mudar a realidade foi fundamental para ajudá-la.

“Meu avô morreu sem saber escrever o próprio nome. Então, ter pessoas que enxergavam a educação como uma forma de mudar a realidade à minha volta foi fundamental para me ajudar”, afirmou a estudante.

Realizando um sonho

Marya começou a estudar em um cursinho pré-vestibular particular em 2020, após conseguir uma bolsa integral. Foi lá que ela percebeu que estava “atrasada” no conteúdo que costuma ser abordado nas provas.

Como estudou em escola pública durante todo o ensino médio, Marya garantiu que ao fazer o curso intensivo, se deparou com uma realidade totalmente nova, especialmente na escrita. Para conseguir chegar no nível exigido pelo vestibular, a jovem escreveu mais de 250 redações para se preparar para o exame da USP.

No dia em que foi aprovada na USP, Marya se preparava para visitar uma universidade particular em Bragança Paulista, onde também foi aprovada e conseguiu uma bolsa integral. Ela contou que quase não acreditava na notícia.

Para a família da jovem foi um momento de muito choro e alegria. Eles acompanharam toda a trajetória da menina e sabiam de todas as dificuldades que ela precisou enfrentar até chegar na aprovação.

Marya prestou vestibular para Medicina em diversas instituições 17 vezes antes de finalmente ser aprovada. Foi no colo da mãe que ela encontrou sempre força para não desistir.

“Minha mãe acredita em mim e lutou para eu ter uma realidade melhor do que a dela, [assim] eu conseguia forças para continuar”, finalizou.

Jovem contou ter feito mais de 250 redações para treinar a escrita — Foto: Arquivo pessoal

Com informações de G1.- 6 de fevereiro de 2023 - Por Monique de Carvalho, em Só Notícia Boa

Espalhe notícia boa!