Vende-se Apartamento

Sintomas de Covid-19? “Não vale mais a regra ‘Fique em Casa’. Procurem uma unidade de saúde”

Publicada em: 11 de novembro de 2020 às 16h27
Arcos
Saúde

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 31/10/2020) - Edição 2076

Em busca de informações sobre o atendimento dos pacientes de Arcos com Covid-19 que são recebidos na Ala de Isolamento do Hospital Municipal São José, entrevistamos, na última quarta-feira (4), a enfermeira Maria de Lourdes Fonseca Pimentel, que é a diretora executiva da unidade.

Uma das principais argumentações que apresentamos foi a seguinte: Estamos na pior fase da Covid-19 em Arcos? Afinal, surgem casos diariamente e já são 14 óbitos. Ao que parece, Arcos está na contramão da nossa região. Estamos na "zona verde", mas a situação não parece estar controlada aqui no Município. Ou está? 

Lourdes Fonseca respondeu: “Acredito que a situação está descontrolada em todo o mundo, mas, após os feriados, o número de casos aumenta bastante, devido, principalmente, às aglomerações e ao descuido da população, que deixa de tomar os devidos cuidados. Em relação às cidades mais próximas, Lagoa da Prata está com 20 óbitos e Formiga está com 16; então, por uma pequena diferença, Arcos ainda não está na contramão da região”.

A diretora também falou de seu sentimento diante deste cenário. “Sinceramente, gostaria muito que isso fosse diferente e que ninguém estivesse passando por este viés desta triste realidade, em que as pessoas não estão nem podendo enterrar os seus entes queridos de uma forma decente. Profissionais da saúde vivem com medo de se contaminarem, na maioria das vezes por causa mesmo dos parentes que ficam em casa. Então, vamos pedir a Deus que esta vacina fique pronta logo e que tudo dê certo para que a vida siga de uma forma mais tranquila”.

Ela alerta que pacientes com sintomas gripais devem procurar uma unidade de saúde. “Não vale mais a regra ‘Fique em Casa’. Procurem uma unidade de saúde”, ressalta.

 

Até então, aproximadamente oito pacientes precisaram ser entubados na Ala de Isolamento do Hospital São José

Os pacientes que chegam ao Hospital São José com sintomas gripais leves são submetidos a exames laboratoriais, são notificados, colocados em isolamento e a notificação é encaminhada ao órgão competente para monitoramento.

Os pacientes que chegam em situação crítica vão direto para entubação orotraqueal. Aproximadamente oito pacientes precisaram ser entubados, ainda na ala de isolamento do Hospital São José.

Aqueles que chegam em estado semicrítico, se necessário, são direcionados para a unidade de Referência para Covid- 19 da região, que é o Hospital São Carlos, em Lagoa da Prata.

O CCO perguntou se está havendo dificuldades, neste período de pandemia, na transferência de pacientes com Covid-19 para Hospitais de Referência com UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Também questionamos quanto tempo, no máximo, esses pacientes ficam no “São José”, esperando por uma transferência. Lourdes Pimentel informou que bem no início da pandemia, os pacientes estavam sendo direcionados para o Hospital Eduardo Menezes, em Belo Horizonte, porque ainda não havia unidade de referência aqui na região, “mas não houve problemas para direcionar os pacientes com sintomas gripais”. Ela informou, ainda, que apenas um paciente ficou por dois dias na unidade, entubado. Isso aconteceu porque, por duas vezes, a equipe do SAMU foi fazer o transporte, mas o paciente não se encontrava estável, sendo necessário aguardar uma melhora para o transporte. Portanto, a diretora reafirma que “não houve em nenhum momento dificuldade para internação dos pacientes com sintomas gripais”.

Quanto às transferências de pacientes com outros problemas de saúde que não estejam relacionados à Covid-19, mas que precisam de tratamentos especializados em outras áreas, a diretora enfatiza que sempre existiu dificuldades para transferências pelo SUS. “O paciente é cadastrado no Sistema, que começa a procura de vagas, mas as enfermeiras supervisoras também ligam para os hospitais solicitando vaga para os pacientes”.

A realidade não é a mesma para pacientes que têm plano de saúde ou que podem arcar com os custos de atendimentos particulares. “Recebemos poucos pacientes conveniados, mas não tivemos dificuldades em transferir”, conta.

 

Número de funcionários do “São José” que foram contagiados

Ao considerar o período inicial da pandemia até o momento atual, 15 funcionários do Hospital Municipal São José foram contagiados pela Covid-19. Nenhum necessitou internação e todos estão recuperados.

O CCO perguntou se os médicos, enfermeiros e auxiliares de serviços gerais atendem mutuamente na Ala de Isolamento e no primeiro pavimento do Hospital São José ou se são equipes separadas. Também perguntamos quais outras medidas de prevenção estão sendo adotadas, além da higienização e do uso dos EPIs. A diretora informou que existe a equipe para atendimento aos casos de Covid-19, foram feitas mudanças no refeitório, o pessoal que trabalha no isolamento usa roupa do hospital, foram definidas áreas com acesso restrito e foram proibidas as aglomerações nos setores.

Além dos recipientes com álcool na recepção do hospital, na sala de triagem, em frente ao posto de enfermagem e outros nos corredores, também estão disponíveis em todos os guichês e em todos os banheiros, inclusive nas observações feminina e masculina, assim como sabão líquido.