Top of Mind 2019 - Miss Brasil

Compulsão alimentar: o drama da perda do controle

Publicado em: 04 de fevereiro de 2019 às 08h32
Saúde

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 26/01/2019) - Edição 1985

Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Estima-se que cerca de 40% das pessoas obesas apresentam um transtorno neuropsicológico que dificulta o controle dos impulsos para comer. Esse transtorno, chamado TCAP (transtorno de compulsão alimentar periódica) tem bases psicológicas, genéticas e hormonais.

Muitas pessoas que estão em tratamento para perda de peso não conseguem um bom resultado porque não foram identificadas como portadoras de TCAP. O uso de certas fórmulas de emagrecimento pode, inclusive, piorar a compulsão alimentar.

Em pessoas diabéticas, esse distúrbio impede o bom controle da doença, podendo levar a crises de hiperglicemia e até mesmo ao coma diabético. O problema é ainda maior em adolescentes portadores de diabetes tipo 1, que estão mais propensos à cetoacidose diabética.

A principal característica do TCAP são os episódios de perda do controle da alimentação, em que o indivíduo ingere grandes quantidades de alimento em curto espaço de tempo. Há casos em que o paciente chega a se sentir “empanzinado”, tamanha a quantidade de alimento ingerido. Na maioria das vezes, o paciente se alimenta mesmo sem sentir fome. O portador de TCAP não consegue controlar os episódios de compulsão, e isto gera um grande sentimento de culpa, piorando ainda mais seu grau de ansiedade. Muitos tentam esconder esse problema se alimentando sozinhos, ficando isolados, o que pode desencadear depressão em pacientes predispostos.

Tratamento

O TCAP exige um tratamento prolongado. Os pacientes têm uma alta taxa de recorrência do problema e necessitam aprender a evitar as situações que desencadeiam a compulsão alimentar.

A família e pessoas próximas do portador de TCAP também devem ser orientadas sobre como ajudar os pacientes. A pior situação para os pacientes é quando lhe dizem: “você não emagrece porque não fecha a boca”, ou “você não tem força de vontade”. Frases desse tipo aumentam ainda mais a ansiedade do paciente, porque no TCAP o paciente não tem controle para vencer esse “vício de comer”. É uma pessoa que realmente precisa de tratamento especializado e urgente.

O primeiro passo no tratamento consiste na mudança de hábitos. Horários devem ser estabelecidos para cada refeição, com uma dieta balanceada. Atividade física regular ajuda tanto a equilibrar o metabolismo quanto a aliviar a compulsão alimentar.

Muitos pacientes necessitam de Psicoterapia, capaz de ajudá-los a entenderem seu problema e controlarem melhor os impulsos para comer.

Existem medicações apropriadas para controlar a compulsão alimentar, além de ajudarem a tratar outros distúrbios, como depressão e ansiedade.

Os pacientes portadores de TCAP que estão acima do peso devem realizar exames periódicos para se descartar problemas associados, como diabetes, colesterol alto e hipertensão arterial.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468