Zé Neca veterinária

Diabetes: nutricionista dá dicas de alimentação

Publicada em: 25 de novembro de 2021 às 10h49
Arcos
Saúde

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 13 de novembro de 2021) Edição 2128

Há uma premissa que a alimentação da pessoa com diabetes tem de ser restrita, mas na realidade, o diabético precisa de uma alimentação mais natural e variada que contribua para o controle do nível de açúcar no sangue.

A nutricionista Maria José explica que o diabético deve priorizar alimentos como frutas com casca, vegetais frescos, cereais integrais, carnes magras, ovos e queijo fresco.

Diet x Light

Muitas pessoas acreditam que produtos light e diet são destinados para emagrecimento, mas na verdade, esses produtos são desenvolvidos para pessoas como alguma restrição médica, como os diabéticos, que não podem consumir açúcar.

Quem busca pelo peso adequado deve preferir produtos naturais para uma alimentação saudável. Além disso, os alimentos light e diet são ultraprocessados para chegar até o estado desejado e, por isso, é preciso muita atenção por parte dos diabéticos.

Para manter o produto com sua característica original é adicionado outro elemento, como adoçante, edulcorante ou gordura. Muitos imaginam que vão emagrecer adicionando esses alimentos à dieta, mas não é assim. Um bom exemplo é o chocolate diet; para que as características sejam mantidas, o açúcar é retirado, mas o produto leva edulcorante e gordura para não perder o sabor agradável. Um produto assim pode ser até mais calórico que um chocolate convencional.

“Nos alimentos diets, ocorre a retirada de algum nutriente como sal, gordura ou açúcar. Já nos produtos lights, há a redução de pelo menos 25% de algum desses nutrientes, sal, gordura ou açúcar; então é necessário estar atento aos rótulos”, explica a nutricionista Maria José.

Como consumir as frutas?

Uma dúvida bastante frequente é em relação às frutas. Devido à frutose, que é um açúcar natural, muitas pessoas diabéticas deixam de consumir. Mesmo com um teor de açúcar menor que os doces comuns, o consumo em excesso pode trazer problemas ao diabético.

No entanto, se consumida dentro do limite ideal de carboidrato por refeição, a frutose não será um problema. Além disso, a fruta possui seu próprio “antídoto”: as fibras, pois elas ajudam a controlar o nível de açúcar no sangue.

Em resumo, é recomendado o consumo de frutas de forma moderada, evitando consumir as muito maduras, pois elas contêm maior concentração de frutose.

Carboidratos

Depois de digeridos, os carboidratos são decompostos na forma de açúcar para serem utilizados como energia pelo nosso corpo. Entretanto, eles são os maiores responsáveis pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue, o que leva muitos diabéticos a evitá-los.

Para pessoas com diabetes, o recomendado pelos especialistas é o consumo moderado de carboidratos simples, dando mais atenção aos complexos. A diferença entre um carboidrato complexo e um simples está na velocidade que cada um é digerido e absorvido. Em síntese, o carboidrato complexo é absorvido de forma mais lenta, o que evita picos de glicose no sangue.

“O alto consumo (de carboidratos) sem balancear corretamente as refeições pode elevar a glicose no sangue e causar, além da diabetes, níveis elevados de colesterol e triglicérides, que são gorduras essenciais ao nosso corpo, mas que, em excesso, trazem complicações; a obesidade é uma delas já que o excesso de açúcar é transformado em gordura”, acrescenta a nutricionista Maria José.

Ainda segundo a nutricionista, carboidratos simples não proporcionam saciedade: “Não sacia muito a fome e considero alimentos viciantes, pois sempre dá vontade de continuar comendo. Além disso, tem baixo valor nutricional. Os carboidratos complexos podem fazer com que uma pessoa se sinta saciada por mais tempo e são alimentos de alto teor nutritivo”, conclui.

Encontrar um carboidrato complexo é muito fácil. Segundo Maria José, inhame, lentilha, batata doce, aveia, quinoa e arroz integral são apenas alguns dos exemplos.

Atividade física

A atividade física é um elemento essencial na vida de uma pessoa diabética, pois estimula a produção de insulina e facilita o transporte para as células, além de outros benefícios.

Maria José explica que a atividade física é importante, “pois há um controle de peso adequado, promove a circulação sanguínea, acelera o metabolismo e ajuda controlar a glicemia para que não ocorra a descompensação do diabetes”.

Batata Yacon

A batata yacon, talvez não muito conhecida, é uma ótima opção de alimento para pessoas diabéticas.

“Ela é uma ótima substituta da batata comum, porque tem ação antioxidante, diminui o apetite auxiliando na perda de peso, faz o controle de açúcar no sangue, regula o intestino e reduz os níveis de colesterol e triglicérides”, explica Maria José.

A nutricionista explica que a reeducação alimentar é importante e não deve ser considerada um sacrifício, já que podemos nos adaptar. “Podemos mudar os ingredientes das preparações sem nos privarmos de ter prazer em comer. Essa mudança traz benefícios como melhora da autoestima, sono de qualidade e disposição; isso não se compra, conquistamos todos os dias com as nossas atitudes”, encerra.