SeSi

Em Arcos, 28 empresas já foram fechadas neste ano

Publicada em: 31 de maio de 2020 às 08h00
Arcos
Economia

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 23/05/2020) - Edição 2052

Dados fornecidos pela Jucemg (Junta Comercial e Empresarial de Minas Gerais) mostram que de janeiro a abril deste ano, 29 empresas foram abertas em Arcos, porém, no mesmo período, 28 empresas foram fechadas na cidade.

Os meses que tiveram o maior número de empresas fechadas no município foram janeiro (11 empresas) e março, com nove empresas. No mês de abril ocorreu o fechamento de cinco empresas e em fevereiro, de apenas três. Já em relação à abertura de empresas, mesmo em meio à pandemia do Coronavírus e às dificuldades econômicas enfrentadas pelas empresas, março foi o mês que mais se destacou, com 10 novas aberturas de empresas. Em janeiro, nove empresas foram abertas; em fevereiro, seis empresas; e em abril, quatro.

No ano de 2019, de janeiro a dezembro, o número de aberturas de empresas foi maior que o número de encerramentos. De acordo com a Jucemg, 126 novas empresas foram abertas em Arcos e 71 foram fechadas. Somando os números referentes a janeiro de 2019 a abril de 2020, foram 155 aberturas de novas empresas e 99 fechamentos. (Não tivemos acesso aos números referentes ao período de janeiro a abril de 2019).

A respeito da abertura e fechamento de empresas, o assessor de comunicação da Jucemg, Carlos Alberto Santos, explicou: "A abertura de empresas no período de janeiro de 2019 a abril de 2020 é maior que o de fechamento. Entretanto, o fechamento de empresas é resultado de vários fatores econômicos, sociais e até mesmo relacionados a questões de decisões pessoais e individuais de seu proprietário". Ele também ressaltou que com a  Lei 13.874, de 20 de setembro de 2019 - conhecida como Lei da Liberdade Econômica -, a Jucemg deixou de cobrar a taxa de extinção de empresas a partir de 23 de setembro de 2019, medida essa que impactou na elevação do número de empresas extintas.

 

Mais de 600 mil empresas fechadas no Brasil

De acordo com matéria publicada pela CNN Brasil, em 09 de abril deste ano, pelo menos 600 mil micro e pequenas empresas fecharam as portas e 9 milhões de funcionários foram demitidos em razão dos efeitos econômicos da pandemia de Covid19. É o que mostra o levantamento feito pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

A pesquisa também mostra que 30% dos empresários tiveram que buscar empréstimos para manter seus negócios, mas o resultado não tem sido positivo: 29,5% desses empreendedores ainda aguardam uma resposta das instituições financeiras e 59,2% simplesmente tiveram seus pedidos negados.

Mais da metade (55%) dos micro e pequenos empresários terão que pedir empréstimos para manter os negócios funcionando sem gerar demissões. O levantamento foi feito de forma online e ouviu 6.080 microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte, de 3 a 7 de abril.