Vende-se Apartamento

HIV/Aids: cinco casos foram notificados em Arcos no ano 2018

Publicada em: 13 de dezembro de 2019 às 16h53
Arcos
Saúde

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 07/12/2019) - Edição 2030

A cidade de Arcos registrou cinco casos de AIDS em 2018, com a ocorrência de um óbito. Desses cinco casos, dois foram em homens e três em mulheres. Os dados são do Boletim Epidemiológico HIV/Aids, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde. O relatório é publicado anualmente e apresenta informações sobre os casos de HIV e Aids no Brasil, nos estados, nas capitais e nos municípios.

O número de casos em Arcos notificados em 2018 é o maior em comparação há dez anos. O último maior registro foi em 2008, com oito casos da doença. Em 2017 e 2016 foi notificado pelo Boletim Epidemiológico HIV/Aids apenas um caso em cada ano. Ao todo, desde o início dos registros do boletim em 1980, foram notificados em Arcos 71 casos de Aids, sendo 47 em homens e 24 em mulheres.

Entre as três mulheres detectadas com Aids em 2018, uma era gestante. Também houve a notificação de duas gestantes com a doença em 2016, duas em 2009 e uma em 2007. Já os casos de óbitos por Aids, ocorreu um caso em 2018 e dois em cada um dos anos seguintes: 2017, 2015, 2013 e 2012.

O Boletim Epidemiológico HIV/Aids também classifica as pessoas notificadas pela cor, sexo e escolaridade. De acordo com os dados, das 71 pessoas notificadas com a doença de 1980 a 2018, 22 são brancas, 13 pardas, 1 preta e 19 não tiveram sua raça/cor registradas. Em relação à escolaridade, apenas três pessoas tiveram essa informação registrada. Uma declarou ensino fundamental incompleto, uma com ensino médio completo e uma com ensino superior completo.

 

Outras cidades

A cidade de Oliveira (população estimada em 41.687 habitantes), que tem um número de habitantes aproximado ao de Arcos (população estimada em 40.092), registrou 12 casos de Aids em 2018; foram sete casos a mais em relação a Arcos. Desses 12 casos, oito foram homens e quatro, mulheres.

Três gestantes foram detectadas com a doença em 2018, uma em 2017 e uma em 2016 e duas em 2015. Também ocorreram três óbitos pela doença em 2018, um no ano de 2017 e dois em 2016.

Formiga também registrou um valor um pouco alto em relação a outras cidades, com um total de 11 notificações em 2018. Lagoa da Prata teve seis casos da doença notificados no boletim; Bom Despacho, quatro casos e Piumhi teve três casos.

 

Teste rápido de HIV, Sífilis e Hepatite

No dia 07 de junho, foi divulgado pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Arcos que estão sendo realizados testes rápidos de HIV, Sífilis e Hepatite, gratuitamente, nos Postos de Saúde da Família (PSFs). O teste realizado pode sair em até meia hora. Quando o resultado é positivo para HIV, o paciente já é encaminhado para o tratamento específico.
No caso de Sífilis e Hepatites, como regra geral, é preciso fazer um exame confirmatório. Em casos específicos, como a Sífilis em gestante, devido ao risco de transmissão ao feto, a recomendação é iniciar o tratamento com apenas um teste positivo, sem precisar aguardar o resultado do segundo teste.

 

135 mil brasileiros vivem com HIV e não sabem

Foi lançada no dia 29 de novembro, em referência ao 1° de dezembro – Dia Mundial de Luta Contra a Aids – a campanha de prevenção do Ministério da Saúde, com o conceito “HIV/Aids. Se a dúvida acaba, a vida continua”. A ação tem o objetivo de mudar na população jovem brasileira, a atitude e a percepção da importância da prevenção, teste e tratamento do HIV para evitar a aids.

De acordo com o Ministério da Saúde, acredita-se que 135 mil pessoas vivem com HIV no Brasil e não sabem.