Vende-se Apartamento

Santa Casa de Arcos vai receber verba para investir em segurança contra incêndio

Publicada em: 26 de janeiro de 2018 às 10h51
Saúde

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 20/01/2018) - Edição 1931

Na última segunda-feira, dia 15, a Santa Casa de Arcos recebeu a visita do ex-vice-governador de Minas, Alberto Pinto Coelho, que realizou a liberação de uma verba para a entidade no valor de R$800 mil.

Na ocasião ele estava acompanhado de seu filho, Alberto Pinto Coelho Neto; do ex-presidente da Assembleia, Dinis Antônio Pinheiro;  do ex-secretário de governo do Estado, Rodrigo de Castro; e do seu assessor e sobrinho André Aparecido. Também estavam presentes: o gerente administrativo da Santa Casa, Roberto Miranda; os ex-prefeitos Lécio Rodrigues e  Roberto Alves, entres outras lideranças;  o médico ortopedista Roberto Dias de Carvalhos, que solicitou a verba, e outros médicos que fazem parte do corpo clínico do hospital.

Segundo o médico Roberto Dias, a solicitação foi feita há aproximadamente quatro meses, devido à crise que a Santa Casa vem enfrentando e as várias necessidades a serem supridas. “Atualmente nós estamos em crise, com uma dívida muito grande. Precisamos limpar a Santa Casa, melhorar o aspecto físico dela e completar o centro cirúrgico que começou a ser feito e não acabou. Então eu perguntei ao Alberto se ele teria a possibilidade de arrumar esse dinheiro e ele nos atendeu como sempre nos atende, com muita boa vontade”, explicou.

O gerente administrativo da Santa Casa, Roberto Miranda, informou ao CCO que a entidade deve receber o recurso a ser investido para atender às exigências do Corpo de Bombeiros, como forma de segurança contra incêndios e pânico.

O custo é alto, em torno de 300 mil, para instalação de mangueiras, hidrantes, caixa d’água suspensa e outros equipamentos. “Vai ser feito realmente o que um Corpo de Bombeiro exige. Hoje, em todo local que tem aglomeração de pessoas é necessário. Então será colocado o hidrante, as mangueiras, a caixa de água, portas de segurança de pânico”, informa.  

No mesmo projeto está a pintura do prédio. “Nós queríamos colocar também a reforma das portas, das janelas, porque está precisando, mas o Governo Federal, por meio da regulação, ele tem uma maneira própria de fazer as contas, então falaram que o dinheiro não daria para tudo isso”, informa Roberto Miranda.

Quando o projeto estiver pronto, o mesmo será apresentado, para que a verba seja liberada. Inicialmente serão liberados 160 mil, quando o projeto estiver todo pronto e aprovado. O restante do dinheiro será liberado conforme o andamento das obras.

Dificuldades com o custeio
Manter um hospital em funcionamento é uma das grandes dificuldades. Geralmente falta verba para custeio em praticamente todos os hospitais do país. “O custeio é o gasto para o dia a dia, com medicamentos, funcionários, médicos”, explica o gerente, acrescentando que também não se pode ignorar as demais necessidades.

Segundo Dr. Roberto Dias, o valor que é pago pelo SUS (Sistema Único de Saúde) para cobrir o custeio da Santa Casa não é suficiente. “A Santa Casa está sempre precisando, todas as Santas Casas do país, porque o que o SUS – que é o grande cliente das Santas Casas – paga para elas não cobre os custos definitivamente”, comentou.

Agradecimento
Roberto Miranda enfatiza: “Temos muito que agradecer ao Alberto Pinto Coelho, com toda a equipe dele que nos ajudou em tudo isso”.

Em entrevista ao CCO, Dr. Roberto Dias disse que não é a primeira vez que o ex-governador ajuda a Santa Casa de Arcos. Segundo ele, sempre que Alberto descobre alguma possibilidade de pedir algo ao Ministério da Saúde, ele liga para perguntar se a entidade necessita de algo. “Ele já ajudou com muitas coisas que temos aqui em termos de aparelhagem, como mesas cirúrgicas, eletrocardiógrafos, desfibrilador, berços aquecidos, material cirúrgico. Ele já fez isso algumas vezes, ele é sempre presente”, disse. O médico acredita que muitos moradores de Arcos são gratos a Alberto Pinto Coelho, por sempre ajudar o Município, mesmo atualmente, quando não está exercendo cargo político: “O que eu tenho sempre que enfatizar é a gratidão de uma ala política que sempre foi atendida. Ele sempre foi merecedor de uma atenção muito diferenciada, para a gente e para Arcos, pois tudo que a gente pedia e ele podia, ele nos ajudou”, ressaltou.