Vende-se Apartamento

Assuntando 13/03/2016

Publicado em: 15 de março de 2016 às 09h59
Assuntando

Matéria publicada pelo Jornal CCO em 13/03/2016)

 

Ele voltou, mas não tem o que fazer... Depois de um longo período de licença sem remuneração, o engenheiro Lécio Rodrigues de Sousa está de volta ao seu cargo na Prefeitura de Arcos. Conforme apurou a coluna, o servidor público, do qual o salário é pago pelo povo, não tem o que fazer. Antes de retornar à Prefeitura, Lécio, já prevendo ser encostado, revelou ter em mente um projeto de reestruturação do prédio da Pousada dos Berto (Asilo). Na última semana, cobrado sobre a ajuda ao Asilo, o engenheiro disse que aguarda o aval do ‘chefe’ prefeito. Se por um lado existem servidores que não obedecem às ordens do chefe, por outro, Lécio segue à risca a disciplina do bom servidor.

 

A decadência... O jornal CCO, edição do domingo anterior, trouxe a ‘confirmação’ do retrocesso na educação municipal de Arcos. O município ocupa o 549º lugar na avaliação dos Municípios referente ao Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB), lançado em julho de 2015. O resultado é tão ruim, que cidades com receitas ‘infinitamente’ inferiores, como Japaraíba, Córrego Fundo, Moema e Itapecerica, obtiveram avaliações bem superiores. Certamente, o atual governo de Arcos já entrou para a história como aquele que iniciou o desmanche do 6º ao 9º na rede municipal, conseguiu a façanha de ‘exterminar’ o projeto Positivo e colocar o município em situação vexatória na região.

 

Falta de investimento... E como disse um líder religiosoarcoense, a falta de planejamento e o amadorismo da  administração municipal podem ter contribuído para essa ‘conquista’ que envergonha a todos nós, em especial,os pais dos alunos. Segundo a ex-secretária municipal de Educação, Marlene Rodrigues, durante participação no programa Debate, não se pode atribuir o ‘retrocesso na educação’ aos profissionais, pois os mesmos são competentes, mas lhes faltam incentivos, valorização e capacitação. ‘Você não vê mais nenhum incentivo aos profissionais da educação” – salientou a ex-secretária. A educação no Brasil só será valorizada quando os políticos populistas forem extirpados da vida pública.

 

Transporte escolar... O curioso é que se gasta uma fortuna com transporte de alunos dentro da cidade e faltam recursos para a capacitação dos profissionais da educação municipal. E a incoerência é tão grande que chega ao absurdo.Uma van de luxo, com direito a ar condicionado, paga com dinheiro público, é utilizada diariamente para o transporte de alunos da escola da Vila Boa Vista até os bairros da região Norte, onde existe uma unidade escolar. Os valores gastos com o transporte de alunos, em alguns casos de maneira inadequada – alunos em pé nos corredores, outros pendurados nas janelas sem utilização de cinto de segurança – comprovam o equívoco da decisão de retirar dos bairros osanos do 6ºao 9º.

 

O dinheiro que faz falta na saúde... A montanha de dinheiro público gasta com transportes de alunos também serviria para amenizar os problemas na saúde pública do município. Durante a última semana, por volta das 06h45, pessoas com crianças no colo se aglomeravam na porta da FUMUSA à espera de atendimento. No ano passado, um pediatra deixou de prestar serviços na Fumusa porque a administração municipal negou-lhe o reajuste de R$ 5,00 em cada consulta. Acredita-se que centenas de crianças foram prejudicadas, uma vez que o médico que pediu rescisão as acompanhava desde recém-nascidas.

 

A polêmica continua... A doação de um terreno de 3.700 metros quadrados no distrito industrial para a finalidade de casa de eventos continua rendendo criticas e revolta por parte de quem não conseguiu um ‘quinhão’ de terra para abrigar sua empresa. Mesmo os vereadores Halph Carvalho e ‘Vinícius do Mini Preço’ revelando dúvidas sobre a operacionalidade da empresa e o endereço do CNPJ, a maioria dos vereadores insistem em aprovar a doação. Halph disse que esteve no local onde deveria estar o escritório da empresa, conforme consta na documentação, mas que não encontrou nada no endereço. O vereador Jamir Soares do Reis, que disse ter negado ao prefeito apoio ao projeto durante a festa de aniversário de Antônio Cardoso, deu indícios que votará pela rejeição.

 

Bela homenagem... Se por um lado a Câmara Municipal de Arcos está na contramão da opinião popular em relação à doação do terreno de 3.700 metros para casa de eventos, por outro, a presidente Cidinha Alves acertou nas homenagens ao Dia Internacional da Mulher. Durante uma semana, o Legislativo arcoense ofereceu, gratuitamente, uma gama de serviços às mulheres. A entrada e a participação nos eventos foram abertas ao público.

 

Sabedoria... “Permita-me dizer a todos os que exercem cargos públicos. A autoridade não é sua, foi-lhe confiada. Você a exerce por um tempo”. Padre Reginaldo Manzotti.

 

53 a.C... O Estadista, orador e filósofoMarco Túlio Cícero, há 2.069 anos, fez uma citação que vale ‘ouro’ para os dias atuais em nosso país: “O orçamento deve ser equilibrado, o Tesouro Público dever ser reposto, a dívida pública deve ser reduzida, a arrogância dos funcionários públicos deve ser moderada e controlada, e a ajuda a outros países deve ser eliminada, para que Roma não vá à falência. As pessoas devem novamente aprender a trabalhar, em vez de viver à custa do Estado’.

 

Que sirva de exemplo... A crise sem precedente em que se afundou o Brasil deve servir pelo menos para uma coisa: a população, no momento do voto, não poderá ter dúvidas se está elegendo um administrador ou um ‘poste’ (fantoche).

 

Novos empreendimentos... Em breve Arcos ganhará novos empreendimentos imobiliários, inclusive um deles público. Trata-se do ‘Residencial Buracão’, que será construído no fundo do presídio municipal. Uma fonte revelou à coluna que o projeto encontra-se pronto para ser registrado em cartório. Em 1992, véspera das eleições, a ex-prefeita Hilda Borges, que apoiava o candidato Paulo Marques, distribuiu centenas de ‘contratos’ de promessa de doaçãode lotes às famílias de baixa renda.O local onde abrigaria as famílias está situado na saída para Lagoa da Prata.Naquela época o povo foi enganado. E hoje? Será que o poder público fará o cadastramento das famílias e alegará que a lei não permite entregar os lotes no ano eleitoral? 

Assuntando por Tadeu Nunes

Site: http://www.jornalcco.com.br/

Aurélio Tadeu Nunes de Sousa é  jornalista - Bacharel em Comunicação Social/Jornalismo pela PUC Minas Arcos - e responsável pela coluna ‘Assuntando’.

Jornalista do Ano - Merito Empresarial 2012, 2013 e 2014; prêmio ‘Top of Mind’ 2012, 2013, 2014 e 2015; Medalha ‘Mérito Legislativo pela Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais’; ‘Medalha Marechal Deodoro da Fonseca’ e apresentador do programa ‘Bate Papo de Redação’, na Rádio Cidade.