Vende-se Apartamento

Síndrome da Fadiga Crônica

Publicado em: 23 de julho de 2018 às 08h50
Saúde

Síndrome da Fadiga Crônica


A chamada Síndrome da Fadiga Crônica, também conhecida como Neurastenia, é uma situação onde o paciente se queixa de fadiga por mais de 6 meses, com exames laboratoriais e clínicos todos normais. É uma importante causa de limitação para os afazeres diários, inclusive prejudicando o desempenho no trabalho. Pode ocorrer em ambos os sexos, adultos e crianças.

Cerca de 20% das pessoas adultas se queixam de fadiga, também chamada de cansaço ou desânimo. Na adolescência, um terço dos jovens apresenta esta queixa, presente em pelo menos 4 dias da semana. Estes dados são da Associação Americana de Medicina de Família, e representam uma condição clínica cada vez mais frequente nos consultórios médicos. Em parte, está associada às condições de vida moderna, que geram estresse cada vez maior e forçam a prática de um estilo de vida pouco saudável. Sempre que as queixas de fadiga duram mais de 6 meses, devemos realizar uma avaliação clínica cuidadosa para se afastar causas graves, como alguns tipos de tumores, doenças hematológicas e hormonais.

Sintomas da Síndrome de Fadiga Crônica

Sensação de cansaço e desânimo que dura mais de 6 meses, que não melhora com descanso ou sono, geralmente acompanhada de dores musculares, nervosismo, sono ruim, cansaço exagerado após exercícios, desinteresse sexual, memória fraca. Crianças e adolescentes podem evoluir com piora do desempenho escolar e importante alteração do estado emocional.

Muitas vezes a Síndrome de Fadiga Crônica é confundida com fibromialgia ou depressão, e o tratamento acaba não trazendo melhora. Várias outras condições podem provocar sintomas parecidos, atrasando o diagnóstico e o tratamento, como problemas hormonais (tireoide, falta de cortisol, menopausa, andropausa, etc), doenças psíquicas, insônia, excesso de trabalho, reumatismo, viroses, falta de vitaminas, efeito de medicações, dentre outras. Por isso um exame clínico detalhado e alguns exames laboratoriais são necessários para o diagnóstico e tratamento corretos.

Tratamento:

Cada pessoa pode necessitar de um tratamento diferente. Para todos os casos, mudanças de estilo de vida são importantes, com dieta balanceada e exercícios físicos regulares.

Abandono do tabagismo, drogas e álcool é fundamental, visto que impedem a recuperação adequada do organismo.
Pacientes com comprometimento importante do estado psíquico podem necessitar de psicoterapia, que ajuda a controlar o estresse, além de prevenir recaídas.

Pessoas que utilizam vários medicamentos necessitam de uma avaliação rigorosa, pois em vários casos, efeitos colaterais ou interações entre medicações é que são a causa da fadiga. Nesses casos, há a necessidade de suspensão ou troca de algumas medicações.
Por fim, existem várias medicações que podem ajudar no tratamento da fadiga crônica. Alguns suplementos de nutrientes, reposição hormonal, medicações psicotrópicas e psicoestimulantes podem ser utilizadas, porém um estilo de vida mais saudável é a principal parte do tratamento.

Saúde por Dr. Tarcísio Narcísio Silva

Médico Endocrinologista e Metabologista - CRM 36.468