Agropecuária Teixeira e Silva

Arcos foi o município que mais consumiu energia na região, no primeiro semestre

Publicada em: 04 de setembro de 2021 às 09h00
Arcos
Arcos foi o município que mais consumiu energia na região, no primeiro semestre

Subestação de Nova Serrana

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 21 de agosto de 2021) Edição 2116

Nos primeiros seis meses de 2021, o setor industrial do município de Arcos teve o maior consumo de energia da região Centro-Oeste, de acordo com informações fornecidas pela Cemig.

Ao considerar que se trata de um sistema interligado, não é possível saber a origem de geração dessa energia, conforme pontuou o setor responsável. Por questões de sigilo de informações, não foram citadas quais as empresas que mais consomem energia. Mas dentro das informações cedidas, consta o consumo de acordo com cada segmento.

Consumo de energia por setor

Segundo o relatório fornecido pela empresa, o consumo residencial no mês de junho/2021 corresponde a 5% do consumo, com 2.300.043kWh. O setor comercial consumiu 1.017.619kWh, com 2% do consumo total. O segmento rural consumiu 467.602kWh, com 1% do consumo total. Na categoria "outros", o consumo foi de 819.492kWh, com 2% do consumo total. E o segmento industrial consumiu 42.139.808kWh, o que corresponde a 90% do consumo do município de Arcos no mês referido.

Consta que, considerando o consumo residencial médio mensal (130,8kWh/mês), o consumo industrial daria para atender a, aproximadamente, 320 mil residências.

Segundo informações da Aneel solicitadas pela Cemig, há 677 consumidores com produção própria de energia no município de Arcos, divididas entre micro e minigeração distribuída.

Micro e Minigeração Distribuída

Para entender melhor, buscamos informações no Caderno Temático ANEEL sobre o assunto. De acordo com a definição contida no mesmo, geração distribuída é caracterizada pela instalação de geradores de pequeno porte a partir de fontes renováveis ou mesmo utilizando combustíveis fósseis, localizados próximos aos centros de consumo de energia elétrica. Em resumo, mini e microgeradores se referem a painéis solares, geradores eólicos, turbinas hidráulicas, etc.

A microgeração distribuída é caracterizada por uma central geradora de energia elétrica, com potência instalada menor ou igual a 75 kw e que utilize fontes renováveis de energia elétrica ou cogeração qualificada, conectada na rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras. Já a minigeração distribuída é uma central geradora de energia elétrica, com potência instalada superior a 75 kw e menor ou igual a 3 MW para fontes hídricas ou menor ou igual a 5 MW, para as demais fontes renováveis de energia elétrica ou cogeração qualificada, conectada na rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras.

Investimento e possibilidade de novas indústrias em Arcos

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Cemig, o Sistema Elétrico de Alta Tensão, responsável pelo suprimento de energia do Município de Arcos e região, receberá, no período de 2018 a 2022, aproximadamente R$ 23 milhões em investimentos, que proporcionarão um aumento de cerca de 40% da disponibilidade de fornecimento de energia elétrica na região.

Destaca-se a realização da obra de aumento da capacidade da atual Linha de Distribuição 138 kV, que interliga as subestações Pimenta (Transmissão) e Pains 2, já finalizada, e a construção da nova Linha de Distribuição 138 kV, que interligará as subestações Pimenta (Transmissão) e Arcos 1, que se encontra em fase final de implantação.
De acordo com as informações da Assessoria, pode-se dizer que o município de Arcos tem condições estruturais muito favoráveis, do ponto de vista de sistema elétrico de Alta Tensão 138 kV, para a atração de grandes indústrias; principalmente pelos reforços estruturais citados anteriormente e proximidade da subestação de Transmissão SE Pimenta 345/138 kV.

A assessoria de imprensa da empresa concluiu: "A disponibilidade desse sistema de Média Tensão para atendimento a novos empreendimentos de pequeno e médio porte deve ser avaliada pontualmente, pois dependerá, principalmente, da localização e demanda de energia solicitada pelos empreendedores. Tendo em vista a importância do Município e a necessidade de fomentar o crescimento econômico regional, estão sendo definidos novos reforços para a região, visando ao aumento da capacidade instalada, a renovação e a modernização de ativos, a serem implementados nos próximos anos, podendo destacar a construção de nova subestação 138 kV com capacidade de 25 MVA na região. Empreendimento já em fase de projetos e com recursos aprovados da ordem de R$ 45 milhões, beneficiando o município de Arcos e municípios próximos".