Empreendedor 2017

Dona Marta Ferreira: exemplo de fé e alegria de viver

Publicada em: 26 de junho de 2017 às 08h46
Memória
Dona Marta Ferreira: exemplo de fé e alegria de viver

“Jesus sempre foi muito bom pra mim, sempre que peço sou atendida”, diz Dona Marta Ferreira

(Matéria publicada pelo Jornal CCO impresso em 12/06/2016

O espaço Memórias do Jornal CCO deste mês traz a história da aposentada Marta Ferreira de Castro, moradora da região central de Arcos, onde tem muitas amizades. Dona Marta é conhecida principalmente pelo seu amor à vida, bom humor e pela sua vaidade.

Arcoense, filha de Maria Onória da Conceição e José Emílio, dona Marta, hoje com 79 anos, conta que cresceu em companhia de mais sete irmãos, dos quais dois estão vivos. Foi criada em um casarão da família, situado nas proximidades de onde hoje fica o “campo dos Davi”, ao final da avenida Dr. João Vaz Sobrinho - trecho I.  Dona Marta disse que foi muito feliz em sua infância e na adolescência, lembrando-se de tempos em que a educação rígida e tradicional era assunto sério. Aluna da escola estadual Yolanda Jovino Vaz, dona Marta comentou que sente muitas saudades do grupo, de colegas, professores e da diretora da época, Dona Leopoldina Gontijo.

 

A família
Dona Marta contou que perdeu sua mãe quando estava com apenas 4 anos, em decorrência de problemas provenientes de uma gravidez de risco. Na ocasião, dona Maria Onória ficou grávida de gêmeos, e algumas complicações previamente anunciadas pelos médicos acabaram por provocar o falecimento precoce, aos 40 anos. Quanto aos gêmeos, dona Marta contou que os dois sobreviveram na época, mas vieram a falecer mais tarde; o primeiro, cerca de dois anos depois, e o segundo, quando estava se preparando para o noivado.
Dona Marta disse, emocionada, que o destino lhe reservou grandes surpresas. Uma delas foi encontrar seu esposo, Pedro Nogueira de Castro, na época um oficial do exército brasileiro, que lutou, em campo, na II Guerra Mundial. De acordo com dona Marta, seu marido foi um homem exemplar, muito respeitável, e que, nem mesmo os 16 anos de diferença foram capazes de atrapalhar o amor entre eles. “Deus ajudou que ele voltou rápido, e que a guerra acabou sem que o inimigo conseguisse pegá-lo”, comentou.
A segunda surpresa, dona Marta diz que foi seu maior presente, vindo de Deus: sua única filha, Vanir Nogueira de Castro Sousa, que posteriormente lhe daria seu único neto, Pedro Paulo de Castro Sousa, hoje com 21 anos. Ambos moram em uma fazenda no Córrego das Almas, nas proximidades da Igreja dos Reis Magos.

 

Exemplo de fé
Questionada sobre sua devoção, tão evidente nas suas palavras, dona Marta diz que tem muito o que agradecer a Deus, que nunca a deixou sem amparo. “Em todos os momentos difíceis, tenho tanta fé! Jesus sabe disso, Ele vê tudo! Jesus sempre foi muito bom pra mim, sempre que peço sou atendida”, comentou.
Quanto às pessoas que não têm fé, Dona Marta foi categórica ao dizer que as pessoas deveriam agradecer muito, principalmente pela vida, e que todos deveriam ser mais devotos. “Hoje, infelizmente, o que se vê é uma geração que banaliza a religião. Eles não sabem o que estão perdendo, Jesus é tudo de bom na nossa vida”, exclamou.
Justamente por essa devoção fervorosa e transparente, diariamente dona Marta recebe diversos pedidos de oração, ajudando muitas pessoas por meio de suas famosas benzeções.

 

O dia a dia
Depois do casamento, em 1961, aos 24 anos, dona Marta se mudou para o atual endereço, na rua Donato Rocha, onde reside há quase 50 anos. Hoje, após vários anos, diariamente ela recebe visitas de seus parentes e amigos que a procuram para um bom papo. São pessoas de todas as faixas etárias que sempre fazem questão de sentir um pouco da sua energia positiva. Dona Marta faz questão de evidenciar o quanto gosta da cidade de Arcos, lugar que, segundo ela, pode ser considerada outra mãe, pois é o local onde nasceu, foi criada e onde conheceu as melhores pessoas da vida dela. “Serei eternamente grata a Deus por tudo que tenho”, finaliza.